Livre namoro livre namoro

Bianca Andrade assume namoro com youtuber: 'Ele é livre e eu também' Ex-BBB se abriu sobre o relacionamento com Fred, do Canal Desimpedidos. Confira! por Miriam Kaibara 08 set, 2020 15:20 Tags. A ex-BBB Bianca Andrade contou ... Ódio, amizade, namoro, amor, casamento, uma das principais coletâneas de contos de Alice Munro, ganha nova edição pela Biblioteca Azul As nove histórias reunidas em Ódio, amizade, namoro, amor, casamento, funcionam como retratos. Retratos de um momento da vida das personagens – e esse momento pode ser uma despedida ou um reencontro ... Sites de namoro: 21 melhores, popular, premium e livre sites de namoro Popularidade de sites de namoro está aumentando dia a dia para conhecer novas pessoas. Se você é único e quero conhecer seu parceiro, então namoro on-line é a forma mais popular. Compre Namoro, de Prof Felipe Aquino, no maior acervo de livros do Brasil. As mais variadas edições, novas, seminovas e usadas pelo melhor preço. ... LIVRE DE RISCOS OU ANOTAÇÕES. CORTE COM MANCHAS.18ª EDIÇÃO.ISBN: 858628320-7 SKU: 21893021. Saiba mais Capa ilustrativa ... A última versão do UAround Livre namoro, namoro chat, data é 6.05. Foi lançado em 2019-09-04. Você pode baixar UAround Livre namoro, namoro chat, data 6.05 diretamente em Baixarparapc.com. Sobre 127 usuários avaliaram uma média 3,9 de 5 sobre UAround Livre namoro, namoro chat, data. Seja uma das primeiras pessoas a adquirir o livro do 'O propósito do namoro' e descubra como ter um namoro abençoado. Livre-se de todos os medos e esteja preparado(a) para ter um namoro cristão de acordo com o propósito de Deus Namoro Blindado Pdf - Livros de Evangélicos no Mercado Livre Brasil Livro Namoro Blindado: pin. Cantinho da Maii: Resenha da Maii: Namoro Blindado - Renato e Resenha da Maii: Namoro Blindado - Renato e Cristiane Cardoso: pin. Diário do amor inteligente: Lições e conselhos do best-seller 19 Livre sites de namoro online para adolescentes. 5. Match.com. É considerado como um dos mais populares sites de namoro on-line em os EUA Ele faz jus à sua garantia de 'fazer amor acontecer'. Encontre Namoro Blindado - Livros no Mercado Livre Brasil. Descubra a melhor forma de comprar online.

Nice ex- SadBoy

2020.09.20 03:52 Raposa_VERRMELINHA Nice ex- SadBoy

Esta em anexo prints da ultima conversa com o nice ex. Contexto: terminei com ele em julho por ele se mostrar muito sadboy mesmo tendo uma família bem estruturada, amigos que sempre estão do lado dele, uma namorada e um pc gamer, coisas q ele tem que eu n entendo ele se achar assim, ele é bem do tipo de pessoa q joga a causa dos seus problemas em cima dos outros e n consegue ver os próprios e eu como melhor amiga/ namorada sempre estava lá para ele ter com quem desabafar, uma coisa que fui notando é q sempre falava das mesmas coisas, ou era por alguma coisa que ele fez quando tinha 5 anos ou por ele ter se desentendido com um amigo e por alguma foto que eu postei e ele n gostou, mas eu nunca dava as costas ou deixava de ouvir ou conversar.
Mas esse n é o motivo da nossa separação e sim por ele colocar muita pressão em mim emocionalmente e psicologicamente, estávamos juntos a um ano e um mês, e no inicio era um mar de rosas, mas como todo o relacionamento a pessoa vem com suas bagagens e a dele era alta ansiedade e explosões dela, isso começou pelo sexto mês de namoro, ele havia mudado muito da pessoa quem me apaixonei e perdi um pouco o encanto mas ele me fazia bem e feliz ent n tinha o pq eu acabar naquele momento.
Mas qualquer coisa que eu fazia e n agradava ele, vinha a explosão de ansiedade a noite, toda vez que saiamos com nosso grupo de amigos em algum momento ele sempre parava o q estava fazendo e ia se isolar, eu sempre ia ver oq deu ou tentar ajudar mas ele nunca falava na hora, era sempre a noite que ele vinha se explicar que era alguma coisa q a gente falou que ele n gostou ou algo do tipo.
Apesar disso ser recorrente, eu ainda gostava muito dele, sempre pensando q ele ia buscar ajuda profissional (que era oq precisava) ou que ia se encontrar. Mas ent o tempo foi passando e isso só aumentou, varias vezes ele ameaçava terminar cmg, mas sempre convencia q era coisa da cabeça dele e tals.
Conversei com vários amigos e com os meus pais sobre como eu estava me sentindo com tudo aquilo, claramente n era saldável oq estava acontecendo, todos falaram q os problemas dele n eram responsabilidade minha e que eu apenas estava me machucando com tudo isso e era verdade. Então marquei com ele para conversar como eu estava me sentindo e a decisão que eu tomei.
Depois de uns 3 meses do termino vou ate o Instagram dele e vou desejar feliz aniversario e assim segue os prints da ultima conversa com ele.
Se alguém leu ate aqui fale se foi uma boa decisão oq eu fiz durante esse relacionamento ou se deixei de fazer algo. Vc tem passe livre de julgar oq quiser nos comentários <3 obg
https://imgur.com/a/i30u52S
submitted by Raposa_VERRMELINHA to TurmaFeira [link] [comments]


2020.09.18 18:52 lucascorneo O pior aniversário

Olá Luba, editores, pessoas que estão a ver, Gatas, e qualquer forma de vida que esteja vendo esse belo vídeo, hoje vou contar a história da grande desgraça que foi meu aniversário. 
No final de 2017, eu tinha conhecido uma garota no interclasse da minha escola, ela era muito gata, querida, e muito interessante, foi paixão a primeira vista KKKKKJ. Começamos a conversar, e na outra semana a gente ficou, encaixou o beijo e foi ótimo, continuamos conversando. Em março, eu iria fazer uma festa de aniversário, e convidei alguns amigos, entre eles, a minha "namorada" e minha melhor amiga. A festa foi ótima, dançamos muito, cantamos, comemos, e fomos pra dentro. Chamei ela pro meu quarto, e começamos a se pegar, mesmo bagulho de sempre, e tava um clima ótimo. Achei o momento perfeito para pedir ela em namoro, ela aceitou, nos beijamos, foi lindo. Após isso, ela foi pro outro quarto, ( no qual estavam minha melhor amiga e uma outra garota) para contar a atual notícia. Até aí tudo bem. Namoramos mais uns 2 meses, e ela me falou que queria me contar um negócio, beleza, falei que tava livre e ela começou a escrever, ela me contou que na noite do meu aniversário, no momento que ela tinha ido contar pra minha "melhor amiga", elas tinham ficado, e eu fui traído 5 min depois de começar a namorar. Hoje em dia eu racho o bico rindo dessa história. Mas não acabou por aí, eu "desculpei" ela, e continuarmos namorando, na minha cabeça só passava uma coisa, eu precisava me vingar, não podia sair por baixo nesse negócio, até aí tudo bem, fiquei de boa e esperei o momento certo pra dar o troco Até que chegou um dia completamente triste, meu bisavô tinha morrido, e eu fui triste pro velório, chorei de mais, tava bem triste. Lá, vi minha prima, e ela tava com uma amiga, a Rainara, ela foi completamente querida, e muito compreensiva, gostei muito dela, e nos começamos a conversar. Passaram-se uma semana, e eu fui de novo pra cidade da minha bisavô, pra missa de 7 dia, e advinha quem estava lá, exato, a Rainara, e advinha o que eu fiz? Exato, fiquei com ela, dando enfim o troco na minha ex. No outro dia, contei pra ela, e esfreguei na cara dela, que eu tinha dado o troco nela. Hoje me sinto mal por ter pegado a garota numa data tal triste, e por um motivo tão ruim. Essa foi minha história, sei que faltaram alguns detalhes, mas se fosse para ler tudo, iria demorar muito tempo, te amo ❤️
submitted by lucascorneo to TurmaFeira [link] [comments]


2020.09.14 22:51 bloomorte Mesmo gostando muito dela, eu terminei.

Já tem uns dois meses que tomei a decisão de terminar o meu namoro de dois anos. O relacionamento não era uma maravilha, como qualquer um tinha seus altos e baixos, mas ela é linda e assim como eu gosta muito de videogames, passávamos os fins de semana jogando até cansar. O meu maior problema com ela era ciúmes em excesso, da parte dela. Tenham em mente que eu não sou nenhum exemplo de homão da porra não...moro com a minha mãe e meu irmão, não tenho vontade de morar sozinho tão cedo e nem de me casar (o que era um outro problema a parte que tínhamos), portanto eu mesmo não estou isento de ser problemático.
Sobre o namoro, ela fazia eu me sentir um criminoso - mesmo sem nunca ter feito nada de errado. Eu nunca vi uma pessoa tão insegura. Eu não precisava fazer nada para ela acusar que eu tinha interesse em fulana ou ciclana. A exemplo, uma vez a gente saiu junto, apareceu uma menina na fila do bar, ela começou a chorar porque disse que eu tava "secando a menina" e me fez levar ela embora. Outro exemplo é que esse ano comecei em um novo emprego, saí mais tarde por alguns dias e ela logo veio me atacar dizendo que eu tava saindo com alguém do trabalho. Eu não podia interagir com ninguém em rede social, se a gente saía eu tinha medo de olhar pros lados e ter que ficar ouvindo groselha depois. Se eu desse motivos entenderia, mas nunca fiz nada.
Com base em tudo isso, tentei terminar várias vezes, sem êxito porque ela dizia que ia se matar, mandava mensagens de adeus e me deixava maluco com medo de acordar com notícia dela ter tentado alguma besteira. Isso aconteceu uma vez, embora não tenha dado em nada. Tentei falar com a família dela, mas a mãe dela só dizia pra eu não desistir e dizia não ter condições de pagar um psicólogo.
Foi passando o tempo e eu mesmo comecei a me ver infeliz e desgastado. Ela e minha mãe começaram a brigar, minha mãe queria uma coisa e ela outra, mas ninguém se importava com o que eu queria. Teve momentos de constrangimento na família. Eu não queria mais buscá-la nos finais de semana, só queria ficar em paz, sozinho, jogando meus videogames no sofá sem ter que compartilhar meu espaço com ninguém. Isso foi ficando cada vez mais intenso, e ela foi percebendo. Passei a ser mais duro com ela, fui acostumando ela aos poucos de que não tava dando certo, reduzindo a frequência que a gente se via.
Com a pandemia eu vi que seria cruel terminar e deixar ela cheia de merda na cabeça sem poder sair pra lugar algum, ela basicamente passava as semanas esperando pra me ver e poder jogar comigo, já que ela não tinha computador em casa e a família dela é um pouco pobre. Juntei umas peças que tinha de um PC antigo e consegui montar um pra ela jogar em casa. Ela pegou uma parcela do auxílio emergencial e comprou um teclado e mouse, chorou de emoção por estar conseguindo montar um cantinho pra ela. E com o sentimento de ter deixado ela preparada para lidar com o luto, terminei. Ela não ameaçou mais se matar, mas vejo que ainda sofre muito.
Eu sinto saudades as vezes, de muitas coisas. Do cheiro, dos abraços, das brincadeiras.
Mas considerando que eu não me sentia feliz e que eu não consigo me ver casando com ninguém (muito menos com alguém que faça eu me sentir "preso"), achei que a melhor decisão foi deixá-la livre para ser feliz com outra pessoa. Eu vou ficar sozinho e não pretendo me relacionar nunca mais.
Se leu até aqui, obrigado!
submitted by bloomorte to desabafos [link] [comments]


2020.09.11 16:54 SucoTostado Trauma de relacionamentos com pessoas de mente aberta

Seguinte,eu me considero uma pessoa muito mente aberta e livre de preconceitos,consequentemente eu tbm me relaciono amorosamente com meninas assim(sou homem)...nos meus 2 únicos namoro aconteceu o seguinte,ambas as namoradas queriam fazer "suruba",e eu não aceitei pq eu me sentiria traido,e elas questionavam pq eu sou assim "aí 2 mulheres é melhor pra vc" "mas como vc não gosta",mas no fim isso nunca aconteceu,tem também a questão de que elas queriam postar fotos sensuais e semi nuas na internet,que msm não tendo lógica eu ficaria triste se elas fizessem isso pois eu me sentiria insuficiente e traido...eu me sinto um merda pq cara...eu respeito isso,tô nem aí se a pessoa é poligamia ou gosta da liberdade sexual,só que pra um relacionemto eu não procuro isso,porém todas as mulheres com quem eu me atraio são assim,isso me impede de chegar nelas,pois sempre tenho gatilhos e eu acabo me isolando no final e me perguntando "quem sou eu" "será que eu sou o errado" "será que eu sou o escroto". Término isso dizendo o seguinte "É uma tragédia um romântico viver sem um verdadeiro romance,atualmente só estou vivendo de prazeres carnais e sensoriais que me distanciam mais ainda das pessoas"
submitted by SucoTostado to desabafos [link] [comments]


2020.08.24 15:02 LeastFudge9 Se querem uma dica, procurem saber o que buscam em relacionamentos antes de sofrerem por não estarem em um (ou de efetivamente entrarem em um)

Vejo muitos posts de "nunca namorei" por aqui, entendo cada um de vocês e digo que me vejo um pouco nesses posts também. Talvez meu post ajude. Isso aqui vai ser longo.
Sou homem, hétero e tenho quase 25 anos. Até os 22, nunca tinha namorado, nem transado, e entre essa idade e meu primeiro beijo (aos 11 anos de idade), eu havia beijado quatro garotas, uma delas talvez eu não devesse contar, pois foi uma amiga de minha mãe bem mais velha que praticamente me forçou a fazer isso quando eu tinha 14 anos. Mas ok, contemos quatro garotas dos 11 aos 22 anos. Isso me deixava triste nos mesmos moldes que vejo aqui em muitos posts.
No dia do meu aniversário de 22 anos, uma conhecida 16 anos mais velha avançou nas investidas por WhatsApp e me enviou nudes. A partir de então, foi tudo muito rápido, tive minha primeira vez com ela e foi fantástico. Ela estava em um processo de divórcio iniciado havia menos de um mês e tinha um filho de oito anos. Daí começa meu inferno.
Ela era uma mulher muito inteligente, bonita e, para me convencer a iniciar um namoro, praticou o famoso "love bomb", eu me sentia o cara mais foda do mundo, ela inflava minha autoestima de uma forma que ninguém jamais havia feito. Iniciamos um relacionamento sério e entrei no fogo cruzado de uma guerra que envolvia minha então namorada, o filho único dela de oito anos de idade e um ex marido extremamente agressivo e descontrolado.
Cheguei a receber ameaça por WhatsApp do tal ex, o filho dela levava recadinhos velados do pai pra mim, me ligava quando estava com os coleguinhas e me xingava das piores coisas e dos piores nomes possíveis (palavras que uma criança da idade dele não devia saber). Tudo isso enquanto frequentemente o garoto chegava da casa do pai quebrando a casa e gritando, eu acho que isso de esperar o inferno toda vez que ele ia pra casa do pai provavelmente foi o que me fez desenvolver um grau de ansiedade. E como já deve ter sido possível perceber, rapidamente eu ficava mais na casa da minha então namorada que na minha própria casa, por livre espontânea pressão.
Como se não bastasse, minha então namorada era extremamente controladora. Com o tempo, eu não podia mais conversar com outras mulheres, ela gritava comigo e quebrava a casa quando estava - nas palavras dela - "surtada". Pra ajudar a ilustrar, lembro-me que uma vez bocejei enquanto estávamos em um restaurante (EU organizei a ida, foi meu presente de dia dos namorados) e ela começou a brigar, perguntando se eu não queria estar ali (e então passei a ter receio de bocejar perto dela - e eu bocejava bastante, porque trabalhava e fazia faculdade).
Houve também uma situação em que recebi uma proposta profissional que significaria passar quatro meses em outro país. Ela surtou, passei uma noite em claro com ela gritando, quebrando a casa, tentando me expulsar de lá (como eu iria embora com a mulher naquela situação?). Enfim, foi um inferno, nem gosto de lembrar. Acabou que eu neguei a proposta profissional, ao mesmo tempo em que ela saiu falando para meus amigos (que viraram amigos dela também) sobre como ela, apesar de triste com a distância, achava uma oportunidade e um projeto muito importantes. E também encontrou meios de me manipular ao ponto de eu ficar na dúvida sobre por que eu tinha negado a proposta. Recentemente, depois de mais de um ano de terminados, ela disse pra uma prima minha sobre essa história e confessou que "fez de tudo que foi possível" para que eu não fosse. Me senti um idiota.
O cúmulo, na verdade, foi quando minha família alugou um sítio para comemorar o aniversário da minha irmã mais nova, a festa consistia em as pessoas mais chegadas ficarem um fim de semana inteiro neste sítio. Nessa época, minha ex já tinha desenvolvido uma posse sobre mim que incluía ter uma espécie de ciúme do tempo que eu dedicava à minha família (que já era quase zero). Justamente por isso, percebi que minha ex estava resistente a ir para este sítio, optei por fingir que não tinha percebido. No dia de ir pro sítio, como eu já suspeitava, ela estava em surto e passou a manhã inteira deitada. O filho dela estava ansioso pra ir, pois tinha piscina e outras crianças, então resolvi que iríamos eu e ele, disse isso pra minha ex e falei pra ela me ligar assim que quisesse ir, que eu a buscaria. O sítio ficava a uma hora de carro.
Vou resumir o que aconteceu, embora para passar o meu terror eu devesse contar detalhadamente. Basicamente, para fazer-me sentir-me culpado por ter ido sem ela, ela resolveu colocar fogo em umas toalhas (muitas!) no chão do banheiro, a ideia - isso tudo eu só concluí passados meses - era criar uma cena de horroincêndio pra quando eu chegasse. O que ela não calculou é que o álcool evapora rápido, então ela queimou o rosto, parte do cabelo, o pescoço, parte dos seios e da barriga. Ela me ligou em pânico e eu corri de carro tarde da noite em uma estrada deserta. Daí em diante nossos dias foram de hospitais (eu fiquei nos hospitais o tempo todo) e cirurgias plásticas. Ela não ficou com nenhuma sequela física. Depois que a ajudei com as queimaduras (em casa, eu fazia os curativos) e cicatrizes temporárias, terminamos (e no dia seguinte ao término ela bateu o carro e, pela forma como foi, parece ter sido proposital). Mas, enfim, consegui sair desse relacionamento abusivo depois de quase dois anos. Esse textão que escrevi é só uma porcentagem do que passei.
Menos de um mês após esse término, retomei contato com uma amiga (e paixonite platônica) de adolescência, acabou que ficamos e veio outro "love bomb". Caí nessa de novo pra depois de dois meses ela me tratar feito lixo, me dar respostas mal educadas, me ignorar e perder a paciência por coisas banais. Essa noite tive um pesadelo com o desdém dessa última ex (faz nove meses que terminamos) e acordei mal, por isso vim aqui desabafar. Felizmente, esse outro relacionamento não durou mais que quatro meses.
Hoje, olhando pra trás, percebo que caí nessas porque tenho uma carência advinda de um abandono afetivo na infância/adolescência, fruto de situações com meus pais. Ou seja, eu estive buscando suprir com relacionamentos uma carência paternal/maternal, então virei alvo fácil para pessoas complicadas ("love bomb" e visões idealizadas e fantasiosas de relacionamentos me fisgaram fácil). Eu estou bem atualmente e bastante feliz com vários projetos pessoais e profissionais, talvez esteja na melhor fase da minha vida nestes termos. No entanto, estou quebrado para relacionamentos e sei que precisarei de terapia para superar a resistência que adquiri com os traumas que relatei. A conclusão é: procure conhecer a si próprio e reflita bastante sobre porque não estar em relacionamentos lhe afeta, pois você pode estar tentando tapar um buraco que na verdade lhe fará ser presa fácil. Esteja em um relacionamento por ter descoberto alguém que te leve para frente, não somente por estar. Inclusive, não faz sentido estar em um relacionamento apenas porque você quer estar em um relacionamento. Não sei se estou sendo claro.
É isso, obrigado.
submitted by LeastFudge9 to desabafos [link] [comments]


2020.08.19 05:32 dandanyami A ex do meu namorado que virou minha stalker

Ola Luba, papelões zumbis, possível convidado e turma que esta a ver.
Vocês adoraram a história de quando a minha mãe tentou ensinar o médico a fazer a cirurgia então eu vim com mais uma, como o luba ta de ferias e acho que não tem como ir pra video vou dar mais detalhes.
Algumas informações importantes para a história, eu namoro a 10 anos em um relacionamento aberto, quando começamos a namorar ja decidimos que ia ser aberto e da super certo com a gente, e foi com nosso estilo de relacionamento que começou essa confusão que me persegue até hoje, essa historia acontece ao mesmo tempo que eu acompanho minna mãe nos exames e cuido da relação cirurgica dela da historia anterior.
O ano era 2017, eu e meu namorado iamos a eventos geeks todos os anos e por conta de estagio e faculdade eu não iria conseguir ir, mas meu namorado foi, depois desse evento em que ele acobou fazendo varias amizades ele se aproximou muito de uma menina que vou chamar carls, carls aparentemente tinha muitos gostos em comum comigo e por isso ele queria apresentar ela pra mim, e eu tinha pouquissimos dias livres, eu trabalhava num projeto da faculdade e quase sempre taca fazendo pesquisa e discutindo com minha orientadora, quando não estava no estagio ou no hospital com a minha mãe. Então eu conversei e mostrei pra ele os dias que eu poderia sair pra conhecer a Carls.
Ele tentou marcar varias vezes de sair com ela e comigo mas ela nunca podia, mas quando não era meu dia livre ela podia qualquer hora, e bem, eu sou distraida mas não sou burra entao eu me liguei que ela poderia estar a fim dele e estivesse bolada com a minha existencia, então como uma pessoa civilizada eu falei com meu namorado deixando claro sobre o que eu achava e que se ela e ele quisessem algo era ok, mas ela ia ter que entender que eu e ele estavamos juntos e ela não poderia me evitar pra sempre.
Quando ele tentou conversar com a Carls sobre isso ela negou tudo, e eu e ele somos o tipo de pessoa que se alguém diz "não" é não e seguimos a vida, a pesar que eu ainda achava que alguma coisa esquisita tinha, a prova veio em um dia que ele ia sair com ela e minha orientadora me ligou cancelando a reunião, eu falei com o meu namorado e ele disse "vem comigo então porque ela não tem nada hoje, vai dar pra vocês se conhecerem" quando estávamos prestes a sair pra encontrar com ela, ele mandou uma mensagem perguntando se ela ia, ela disse que sim e então ele avisou que eu ia junto, na hora ela arrumou uma desculpa dizendo que nao poderia ir, e eu só olhei pra ele e disse "ela não gosta de mim, ela com certeza esta apaixonada"
No dia seguinte eu sai do hospital depois de acompanhar minha mãe nos exames e fui fazer compras, eu sabia que eles iam sair só que eu não sabia onde e coencidentemente fui no shopping que eles estavam, vi eles de longe conversando, ela me viu, fez a maior cara de cu que ja vi e puxou meu namorado pra longe antes que ele me visse.
Eu sou uma pessoa tranquila e não tenho ciumes mas eu realmente odeio que me tratem de maneira grosseira quando nao fiz nada, entao eu falei pra ele que eu nao gostava dela, que nossa relação era aberta mas tinha respeito então esperava que ele me respeitasse e nao tentasse mais me envolver com ela, e ele me respeitou nisso, nao falou mais sobre ela pra mim e estavamos de boa, ate eu perceber que ele tava ficando muito mal.
Eu perguntei o que tava acontecendo e ele resolveu falar, essa menina tinha se declarado pra ele, eles saiam juntos e estavam meio que serios, eu não tinha problema pra isso, eu também saia com algumas pessoas de vez em quando, o problema é que a menina começou a falar que tinha depressão e ia se matar e era tudo culpa do meu namorado, ele me mostrou algumas partes de conversa com ela e me perguntou o que ele fazia pra ajudar.
Eu sensata e sabendo que aquilo era abusivo e uma maneira dela controlar ele, eu disse claramente que eu nao queria ele daquele jeito, que ela tava fazendo mau pra ele e que era pra ele se afastar dela pois ela estava sendo abusiva, quando ele falou com ela que eu não aprovava mais eles juntos, ai ela tentou ir atras de mim, me chamar sair pra me conhecer e falando que amava ele, eu falei pra ambos que aquilo não era problema meu, que eles fariam o que queriam mas se eu visse o meu namorado daquele jeito de novo ia foder com ela.
Eles tentaram por alguns meses mas a menina ainda era super abusiva e vivia ameaçando se matar e falando que era tudo culpa dele, e ele realmente tava preocupado, ela se fazia de vitima pros amigos dele dizendo que eu era ciumenta e tava perseguindo ela, e eles acreditaram nela e ficaram morrendo de dó, até que um dia em um surto de raiva ela me chamou de puta e falou que se eu morresse ninguém ia sentir minha falta pro meu namorado e foi ai que ele percebeu que tipo de pessoa ela era e ele terminou na hora.
Ai voces podem pensar, a historia acabou não? Bem o circo começou a pegar fogo com o termino deles pois uma vez que ela tava falando que ia se matar (motivo daquela vez: ele demorou 5min pra responder o whats) a bateria do celular dele acabou enquanto ele tentava acalmar ela e ele usou o meu pra ligar pra ela e se certificar de que ela não ia fazer besteira.
Carls tinha meu numero, ela pegou algumas fotos do meu insta, criou um tinder falso com fotos minhas se passando por mim e passava meu whats falando que eu tinha fetiche em ser xingada, ela fez isso por dias ate que o meu namorado comentou casualmente que eu tinha ido na policia, depois daquele dia os caras do tinder pararam, mas ai comecou perfis fakes desses numeros gerados em site me mandando fotos de pau tirados do google e me xingando.
Ela de tempos em tempos cria uma conta nesses sites pra mandar fotos de pau e me xingar, vou deixar o print da ultiza vez que foi bem recente, vai fazer tres anos mas essa menina me stalkeia ate hoje, cria perfil fake pra ver o que faço nas redes sociais e esses perfis de whats pra mandar mensagem, minha namorada de São paulo e meu namorado acreditam que ela tem ódio demais pra não ser alguma paixão secreta por mim. O que vocês acham?
http://imgur.com/a/DjX32JE foto da última
submitted by dandanyami to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.18 15:40 FLxWxR-BxY Probleminhas de estética no namoro

Olá, pessoal. Talvez o texto fique um pouco longo mas queria a opinião se vocês.
Namoro uma garota incrível, a gente se da muito bem mas tem um probleminha: pelo no sovaco.
Perai perai, sei que vão me explicar como é chato ter que ficar seguindo padrão estético mas é diferente, ela tem pelo em tudo, pernas, na amiguinha e tals, não me incomodo com nenhum pelo, nunca pedi nada, só me incomodo com o pelo nas axilas, tipo, real mesmo. Eu sempre me depilei todo porque é o jeito que eu gosto de ficar, só parei de depilar o tronco porque ela falou que curtia (não pediu, só falou). Só que é um assunto muito difícil de conversar porque, por mais que eu NUNCA tenha pedido pra ela se depilar nem nada, ela briga comigo quando pergunta o que prefiro, tipo, ela pergunta e eu respondo e briga comigo me dando sermão sobre o padrão estético. Sei lá, não acho que deveria me sentir mal por isso e que isso deveria ser uma coisa que eu poderia conversar com ela mas acho que, mesmo eu não ligando para o resto dos pelo, no momento que eu falar sobre isso com ela, ela vai desconsiderar todo resto. Acima de tudo quero que ela seja livre, claro.
Estou sendo babaca de me importar com isso? Tentei deixar de lado mas me incomoda :(
submitted by FLxWxR-BxY to desabafos [link] [comments]


2020.08.16 20:32 AltinoAlagoinhas Amizade, Sexo E a escolha das Mulheres.

Ok, textão pq eu não tô sabendo organizar essas ideias na minha cabeça.
Primeiramente, eu sou um cara relativamente "presença" eu tenho 1,89 de altura, isso é relevante pois aqui na cidade onde eu vivo o caras não são tão altos e isso combinado com eu ser jogador de Vôlei em uns times amadores por aqui, meio que me dão uma certa vantagem em conseguir atenção de mulheres. Eu não tenho talento suficiente pra ser profissional e altura não é tudo, mas eu gosto de jogar.
Recentemente meu namoro acabou e eu comecei a refletir mais sobre minha posição e atitudes e como eu sou percebido por homens e mulheres e se isso esta me impedindo de manter um relacionamento solido.
Do ponto de vista dos meus amigos homens, eu tenho a vida que eles pediram a Deus e não ganharam na loteria. Eu tenho relacionamentos bem curtos,, variando de semanas a meses, onde esse ultimo foi o mais longo uns 10 meses e o Covid foi o que provavelmente deu essa vida extra. E nesses períodos sem relacionamento eu sou um tanto quanto bem eficaz em conseguir sexo casual(digo não mais que algumas transas com cada pessoa).O que desperta uma certa inveja nos caras, eles me elogiam e brincam, mas eu sinto o tom de rancor escondido por trás das brincadeiras e que as vezes escapam quando eles estão mais alcoolizados.
Uma vez eu cometi o erro de tentar animar um camarada que tava sofrendo depois de uma serie de rejeições, ele veio com "tu pega todo mundo e eu não pego nem as sobras" e tentei dizer algo assim "Calma, isso não é uma competição,qualquer hora vc se da bem,podia aproveitar pra malhar um pouco e etc". Pra que eu fui dizer isso, o cara ficou em tempo de chorar de raiva,"Não é competição pra vc que é um gigante e as mulheres fazem fila, nenhum treino no mundo vai me deixar mais alto ou bonito". Na hora eu não entendi o que eu falei de errado, depois eu vi que ele entendeu o que falei como pena pela inabilidade dele de conseguir atrair mulheres.
Aqui eu tenho que dar um contexto, aqui no meu circulo de amigos,talvez essa cidade (não tenho como saber), tem essa crença entre os homens que é mais fácil transar de cara(logo nos primeiros encontros) com uma mulher que não gosta de vc, mas te acha sexualmente atraente do que se ela tiver intenção de te namorar, a logica por trás disso é que ela pode sentir desejo pelo cara, mas não gosta dele como pessoa ou acha que vai ser traída o que deixa ela livre pra "dar" de primeira sem se preocupar se o cara vai perguntar se ela chegou em casa bem no dia seguinte. E tem os caras que elas tem intenção de criar algo solido e esses vão ralar pra levar elas pra cama,pois elas tem medo de ser vistas como fáceis. No geral nunca me importei com isso pq com o tinder outros app e o modo mais agressivo que as mulheres se aproximam de mim faz essa teoria soar muito machista e produto de ressentimento de caras rejeitados.
Mas ai uma semana atras, essa conhecida minha da academia começou a falar de amizade e sexo e então descobri que ela é lésbica, e na conversa ela disse que era opção pessoal dela nunca se envolver com amigas que ela não quisesse perder, mesmo existindo o conceito de amizades com beneficio(que ela abomina) e tal ela só se relacionou com 2 "amigas" que ela não se importava em cortar relações,o argumento dela é que relacionamentos sexuais dificilmente acabam amigavelmente e ela não quer correr esse risco com amigas que ela preza muito.
Enfim, essa duas ideias tão se chocando na minha cabeça agora, pq eu tô achando que eu sou vitima disso, que as mulheres já se aproximam de mim achando que vai ser só pra passar uma chuva(com medo de ser traídas ou simplesmente não gostam da minha pessoa mas me acham atraente).O que meio aponta pra ideia dos caras, nesse últimos 3 anos eu tive muitos casos de "uma noite" onde eu nem sei se fiquei no final da lista de contatinhos delas. Eu não uso Apps de encontros onde ´sexo casual é supostamente a norma, Meus encontros são sempre da academia, trabalho, cursinho e etc. O que deveria facilitar relacionamentos sólidos.
Eu sei que um relacionamento depende de inúmeros outros fatores, mas se os meus ja começam com data pra expirar, vale a pena investir nisso?
É isso, quem leu até aqui sem ficar entediado agradeço, quem se decepcionou foi mal. só precisava escrever pra tentar organizar melhor minha mente, pq segunda eu volto ao batente.
submitted by AltinoAlagoinhas to sexualidade [link] [comments]


2020.08.14 14:21 zChlomaki Eu ter deixado de ser amigo de uma pessoa que falou para a minha melhor amiga que tem problemas psicológicos se matar e ir na fé é algo realmente ruim?

Bem, eu tenho meu grupinho de amigos. E um dia uma amiga conheceu uma pessoa, vamos chama-lá de P e minha amiga vamos chama-lá de M, quando M conheceu o P ele ficou perguntando pra ela namorar com ela 5 vezes, e todas elas foram negadas, e por algum motivo que desconhecemos ele começou a chama-lá de irmã, depois de um tempo ela me apresentou o P. Depois de uns meses foi quando tudo começou a ferver. Eu havia apresentado uma amiga minha, vamos chama-la de L, para o P. L havia alguns problemas psicológicos, eu sempre à ajudava em relação a desabafo, algumas pessoas que eu já ajudei com esse tipo de caso sempre tinham muita coisa pra extravasar, depois de uns dias a gente estava em chamada e estava eu, P, M, L se tivesse outra pessoa na chamada, eu não me lembro, bem a gente estava na chamada tudo muito tranquilo, todo mundo conversando e rindo. Porém P disse que ele ia tomar um remédio, porém ele não havia dito os efeitos do remédio e ”aparentemente” esse remédio fala tudo que vir na cabeça também é algo que eu duvido é que aquele remédio realmente fazer isso pois um tempo depois ele mentiu falando que não conseguia receber um item cortante e que tinha que assinar um papel no correio. Sendo que minha mãe trabalhava com coisas de perícia criminal, ela já postou pelo correio produtos químicos pelo correio e também já comprou muita faca no mercado livre que foi onde ele comprou. E quando ele voltou e estava tudo bem até que ele diz para a L ir se matar e para ir na fé, eu e a M ficamos com medo, e a L veio desabafar no meu privado do Discord e a L deixou de ser amiga do P, depois de um tempo (contexto: eu sou inseguro ao meu corpo, sei que é a verdade, mas eu realmente não gosto do fato de eu ser um pouco enchidinho) ele me ofendeu esfregando muito na minha cara que eu era gordo mesmo ele não podendo dizer muita coisa. Depois de alguns dias ele começou a me pedir em namoro (contexto parte 2: ele falou “que era brincadeira”, mas o que eu penso é eu tenho certeza se eu aceitasse não seria brincadeira.) o que pra mim não foi legal mas eu relevei, já L ficou com mais raiva dele ainda, se passa mais uns dias eu pensei no que tava acontecendo antes de dormir e vi o quão aquilo não tava ficando legal, no dia seguinte eu me revoltei. E comecei a xingar ele, e ele começou a discutir comigo no privado do Discord, depois de um tempinho eu fui desabafar no privado da M que junto da L são minhas melhores amigas e foi quando eu desabei, com medo de perder a M por causa do P, eu conheço a M a 4 anos e perder uma amiga tão próxima como a nossa amizade, iria me quebrar, depois disso, o P mandou um convite para um servidor para a L, e vamos concordar que a pessoa falar pra você se matar e você se desaproximar da pessoa e ela te mandar o convite do servidor dela é muita sacanagem, e eu briguei com o P novamente, e agora um amigo meu não anda falando comigo direito, acho que por causa dessa porra. Se vocês quiserem as prints das conversas me contatem no twitter (@MaFiret_) porém elas estão em português e algumas traduções pra vocês não estarão erradas então se possível procure alguém que saiba português, mas enfim eu fui babaca? Atualização: Quando escrevi isso foi a 3 semanas atrás, semana passada eu acabei brigando com a L e agora eu não converso mais com ela, e ando conversando com outra pessoa a gente brigou e eu briguei falando de qualquer coisa que veio na cabeça, mas… o que ela tinha dito parecia que tava entalado lá dentro há muito tempo, mas eu nem tenho dado bola mais porque eu já to conversando com outra pessoa e essa pessoa dominou minha cabeça… me fez esquecer tudo que tava acontecendo, se to apaixonado, eu não sei. E eu não sei se eu sou babaca ou não, pq há tantas coisas acontecendo e eu só tava sentindo que tava enloquecendo, e essa pessoa que não vou falar aqui pq pode chegar até ela mesmo sendo muito improvável me fez me acalmar um pouco, então é acho que estou bem
submitted by zChlomaki to desabafos [link] [comments]


2020.08.08 08:17 Peixefaca Serei o babaca por cortar relações com o meu pai?

Irei começar desde o início, ou seja, desde a infância do meu pai para contar as coisas por ordem cronológica e também contar os dois lados.
O meu pai foi o último de 6 irmãos, isto nos anos 70 que em Portugal foi durante a ditadura. A vida nunca foi muito fácil para a família. No aniversário do meu avô, ele tinha ido ao centro da cidade para comprar bilhetes da seleção de futebol da localidade... o meu avô foi de bicicleta e um bêbado a conduzir, atropelou-o e o meu avô faleceu. O meu pai tinha somente 3 anos, uma mulher com 6 filhos para cuidar sozinha nos anos 70. O meu pai nunca teve um pai propriamente dito porém o meu tio mais velho foi a figura paternal do meu pai e da família, era ele que trabalhava para sustentar a casa, era ele que batia nos meus outros tios quando eram apanhados a fumar e etc. Quando o meu pai tinha 14 anos, o meu tio (com 23, creio) suicidou-se de uma linha de comboio/trem. O meu pai nunca teve uma figura paternal desde então. Depois disso, vários dos meus tios, sem supervisão parental, começaram a consumir drogas e isso inclui o meu pai que aos 14 também, largou os estudos para ir trabalhar. Passaram-se alguns anos e ele mudou o rumo. Largou as drogas, andou numa clínica de reabilitação e arranjou um emprego, nuns anos avante, ele conheceu a minha mãe e aqui estou eu.
Agora que apresentei a história dele, passemos à minha. O meu pai sempre foi bastante ausente, quando eu era criança ele chegava sempre cansado e mal estávamos tempo juntos, ele gritava quando eu cobrava a atenção dele e nunca tivemos uma ligação forte, dado que ele não prestava o mínimo de atenção à família porque achava que sustentar financeiramente era o suficiente. Com os meus 6 anos, o meu irmão nasceu e o meu pai ausentou da mesma maneira. Passou-se um ano e os meus pais separaram-se, a minha mãe foi muito forte porque o meu pai virou grande parte do círculo social dela contra ela, e ainda tinha que sustentar dois filhos! Passaram-se 3 anos e eles resolveram os desentendimentos e juntaram-se. Vale realçar que esses 3 anos eu senti-me livre de medo, o meu pai sempre gritava e intimidava. A minha irmã nasceu e o meu pai não aprendeu nada... Agora, irei realçar pontos importantes para prosseguir a história: o meu pai sempre me deu uma educação machista: mulheres não podem usar roupa curta, gays são doentes e Deus é tudo, obrigava-me a ir na igreja e diminuia-me à frente da família e amigos. O meu pai normaliza bastante assédio, pratica-o e deixei de sair com ele porque não queria ser visto como igual. Por grande parte da minha vida eu fui homofobico e machista, eu fazia "piadas" com meninas que as deixavam mal, até hoje culpo o meu pai, pois eu era uma criança na altura. Por causa dessa inferiorização, virei uma criança tímida e cheia de medo dd ser julgado, atualmente ainda me causa alguns transtornos mentais. Aos meus 14 anos, fui diagnosticado com cancro (linfoma) no último estágio com metástases nos ossos e a se iniciarem nos pulmões. Foram meses muito duros, tive que ficar fechado em casa por 6 meses (é pessoal, essa quarentena é meio leve pra mim) porque eu tinha a imunidade super baixa; na altura eu não tinha nada com que me entreter e queria jogar com amigos meus, achei boa ideia conversar com os meus pais em comprar um pc gamer, a minha mãe hesitou mas o meu pai começou a gritar e chamar-me de ingrato, levantou-me mão e empurrou-me pra trás. Não basta dizer que passei o resto da quimioterapia isolado, né? Depois disso este tipo de discussões foi mais habitual porque desde aí que comecei a me revoltar. Depois dos tratamentos terminarem (sim pessoal, até hoje estou bem :3) decidi dar um novo rumo à minha vida, nos estudos e etc. Mas ele provocava-me sempre e ele tentava me bater. Houve uma vez que a minha mãe se colocou na frente para não me bater e ele complementa empurrou-a. Desde aí decidi não usar mais o nome do meu pai na identificação, só o da minha mãe. Há um tempo considerável que conheci uma menina incrível, começámos a namorar e escondi por bastante tempo por causa da minha família porque eu tinha a certeza que o meu pai iria usar o namoro para me atacar. O inevitável aconteceu, ele soube e veio dar uma de "pai" a dar conselhos de namoro como: "nunca a deixes ter poder", "tu és o dono da relação ", "não deves te importar como ela se sente, pois ela vai te usar". Mais tarde, numa discussão que já nos é habitual, ele disse "vou destruir o teu namoro", "nem sei como ela namora contigo". É por este tipo de coisas que ocultei o namoro. No meu aniversário, a minha namorada deu-me um livro personalizado com todas as nossas memórias, foi bastante caro (amor, se estiveres a ver isto, peço desculpa por ter visto o preço <3). O meu irmão estava a bater na minha irmã enquanto ela chorava baba e ranho, o meu pai ficou no sofá a ouvir aquilo sem fazer nada (a minha mãe tinha saído). Fui lá e comecei a discutir com o meu irmão, ele foi buscar o livro que o meu amor me deu e rasgou-o. Aquilo destroçou-me. O meu pai chegou e começou a rir, colocou as culpas em mim e falei na cara que era um pai de merda, que mais valia eu não ter nascido dele e que por mim ele iria embora. O prólogo não interessa, foi o habitual. Planeio cortar relações com ele quando eu fizer os 18.
Na minha opinião não o consigo culpar, pois ele não teve educação mas não sou obrigado a ter a vida destruída por causa dele. Serei um babaca por cortar relações com ele?
submitted by Peixefaca to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.06 06:08 denesfernando Sou Babaca Por Querer Que O Namorado Da Minha Amiga Não Passe Mais A Quarentena Aqui E Volte Pra Casa Dele?

Olá Luba, editores, gatas e Turma. Essa história que vou compartilhar aqui é recente, ainda estou tratando em terapia, mas ela começa um pouquinho lá atrás.
Um ""pouco"" de background para situar a todos de onde tudo isso começou.
Em 2013 comecei namorar um cara que vou chamar de Karen, por ele ser muito, mas muito CUSÃO (inclusive, ele se parece muito com você Luba e por vocês serem tão idênticos, eu passei um bom tempo sem assistir o canal, pois não conseguia te ver sem lembrar dele). Mas, enfim, em 2015 ele e o grupo da faculdade dele decidiram morar todos juntos em uma casa perto da faculdade, pois estava exaustivo para todos trabalharem em pontos distintos da cidade (São Paulo, para se alguém quiser se situar).
Então, em janeiro de 2016, eles se mudaram e eu ia para lá aos fins de semana, até que acabei me mudando para a casa em Junho do mesmo ano, no dia do meu aniversário.
Pois bem, foi uma fase horrível da minha vida por causa do meu ex, terminamos em maio de 2017 e tive que sair da casa. Esse meu ex era um abusador, um aproveitador, a pior pessoa que eu poderia ter conhecido na minha vida. Os abusos psicológicos que ele cometeu comigo, afetaram totalmente minha confiança e em como eu viria a me relacionar com outros caras, fora as crises de ansiedade que eu arrasto até hoje.
Mas então, eu fiquei amigo dos amigos dele da faculdade e em especial da Karls que virou minha melhor amiga.
Em 2017 eles terminaram a faculdade e em 2018 o contrato da casa venceu e eles finalmente poderiam se mudar, áquela altura ninguém suportava mais olhar pra cara do Karen.
Então, foi nesse momento, que a Karls e o Akarls me chamaram para vir morar com eles numa nova casa. Sem o Karen. E hoje nós três vivemos como uma família feliz com os nossos pets.
2019
Eu conheci um cara, eu vou chamar ele de Lars.
Lars e eu começamos a trocar mensagens, se conhecer, nos aproximarmos. Até então, antes dele, todos os outros caras que eu acabei ficando, não davam certo, (tem muito gay problemático nessa cidade). Mas Lars foi diferente, conforme nos conhecíamos, ele ia transpondo todas as muralhas que eu usava como defesa, pois meu maior medo seria voltar para um relacionamento abusivo, tóxico e doentio.
Com o Lars eu fui bem devagar, realmente queria conhecer ele, pra ver se o que eu estava sentindo era o certo e se ele não iria me fazer mal.
Nesse tempo conhecendo ele, eu desabafava com Karls todas as minhas inseguranças, pois ela tinha vivido todo o meu drama com o meu ex, ela sabia dos meus medos, receios, inseguranças em me relacionar com alguém e ela me dava todo o apoio, pra poder voltar a acreditar e saber que nem todo mundo é igual o Karen, que na verdade eu dei azar com o Karen, mas que não seria assim de novo.
Depois de tantos embates sobre minhas agruras eu acabei me desarmando e me permiti começar algo com o Lars.
Um mês e meio depois, finalmente decidi trazer ele em casa, para conhecer meus amigos e 😏.
Então, foi nesse fim de semana de novembro de 2019 que coisas aconteceram.
Depois de ficarmos, acabei aceitando os meus sentimentos por ele, pensei que depois de tanto tempo solteiro, passando por aventuras fracassadas com pessoas que não se encaixavam, onde a química só proporcionava uma reação inicial. Ali estava talvez o momento de poder compartilhar momentos com alguém.
Mas aquele início de sonho desmoronou muito rápido. No domingo quando ele estava pra sair para trabalhar, Lars me contou que iria para o Beto Carrero com um amigo. Fui pego de surpresa, pois ele não havia mencionado nada nas nossas conversas durante a semana.
Na época, Lars trabalhava como bartender numa cafeteria e reclamava de trabalhar muito, não ter finais de semana livres e só folgar nas segundas-feiras.
Como não tínhamos oficializado nada, nossa primeira vez foi na noite anterior e o fato de estar disposto a querer começar a construir uma relação tinha sido algo que eu havia arrazoado no meu coração, achei absurdo demais eu questionar porque ele não tinha me falado nada antes.
Tudo bem, ele iria no Beto Carrero com um amigo, logo após sair da cafeteria. Pegaria o ônibus na estação do Tietê no domingo a noite, passaria o dia no parque, já que a folga seria na segunda, e na segunda a noite ele voltaria e iria trabalhar na terça-feira de manhã. Eu, pelo menos, imaginei que seria assim.
Na segunda-feira, eu fui trabalhar normal, vi as fotos dele no Beto Carrero, os stories no Instagram aparentemente nada de estranho, mas a primeira coisa que me chamou a atenção foi o fato dele não ter postado um único story com o amigo, mas até aí, se eu encucasse com isso, seria uma atitude tóxica e eu não queria isso. Numa relação deve existir confiança.
Nós não nos falamos o dia inteiro, pois eu não iria ficar o importunando num passeio como aquele, que ele aproveitasse o máximo possível. Foi quando às 18:00 eu resolvi mandar uma mensagem para ele, já que eu estava saindo do trabalho.
A mensagem era mandando um "oi" e desejando que ele tivesse se divertido bastante e fizesse uma viagem tranquila de volta.
Foi quando ele me respondeu que não voltaria aquela noite, que ele iria para Balneário Camboriú com o amigo passear de barco. Eu fiquei completamente sem reação, foi um choque. Ele só reclamava de como o trabalho explorava ele, não era flexível e do nada, de uma viagem totalmente espontânea que aconteceu aleatoriamente pra aproveitar um dia de folga num bate e volta, surgiu uma folga no dia seguinte.
Eu não tive como não ser arrastado de volta para os tempos do Karen, onde eu fui trouxa por anos, onde ele matava aula pra transar na escada da faculdade, dizia que ficava até mais tarde no serviço pra não pegar trânsito, mas na verdade ia para dates furtivos de apps de pegação (inclusive tenho uma história ótima com relação a isso da época do Karen), enfim, meu cérebro e meu coração ligaram o sinal vermelho, as sirenes começaram a zunir no meu ouvido, a última coisa que eu queria era ser enganado como fui na minha última relação.
Voltando, Lars não falou mais nada depois disso, fui pra casa naquele dia. Na terça-feira de manhã, outro sinal de alerta, não tinha nenhuma mensagem no celular. Isso poderia ser irrelevante, se a gente não tivesse passado o último mês e meio, trocando várias mensagens e memes da hora que acordava até a hora de dormir. Me senti mal, a conversa tinha morrido da noite para o dia, fiquei angustiado, pois eu estava começando a gostar dele e aquilo mudou da noite para o dia.
Terça-feira se foi, ele em Balneário Camboriú, fotos e stories no Instagram se seguiram e nada desse amigo misterioso.
Finalmente, a noite ele estava voltando e mandou uma mensagem dizendo que estava exausto, mas estava voltando. Nesse momento, minha mente já tinha formulado mil e uma histórias, mas resolvi ser prudente, apesar da angustia que estava sentindo.
Foi difícil dormir aquela noite, na manhã seguinte, ele mandou uma mensagem dizendo que havia chegado, estava exausto, mas estava indo trabalhar.
Nossa conversa, já não era a mesma, algo tinha mudado, as palavras ou a ausência delas são um termômetro para o coração, escrever para outra pessoa é um ato de conexão e o nosso elo havia se rompido.
Foi quando resolvi confrontá-lo.
Segue abaixo a conversa no whatsapp:
[28/11 11:56] Denes: Desculpa, Lars.
[28/11 11:56] Denes: Eu não sei de fato o que aconteceu
[28/11 11:56] Lars: Pelo o que ?
[28/11 11:56] Denes: mas desde terça que eu sinto que nossa conversa morreu
[28/11 11:56] Lars: :(
[28/11 11:56] Lars: Eu que peço desculpas
[28/11 11:57] Denes: se vc puder me dar uma luz
[28/11 11:57] Lars: Questão de conversa tbm não sei ... :(
[28/11 11:58] Lars: Não quero ser cuzao contigo
[28/11 11:58] Denes: me diz o que tá acontecendo
[28/11 11:59] Lars: Gosto olhando no olho
[28/11 11:59] Lars: Gosto de vc
[28/11 11:59] Denes: talvez não haja olho no olho se eu não entender o que está acontecendo
[28/11 12:00] Denes: eu tb descobri que estou gostando de vc
[28/11 12:00] Denes: descobri de uma maneira bem ruim
[28/11 12:00] Denes: só quero que vc me diga
[28/11 12:00] Denes: sem medo
[28/11 12:02] Lars: Eu recebi uma ligação de alguém antes de viajar que me deixou balanceado
[28/11 12:02] Denes: prossiga
[28/11 12:02] Lars: Não gosto da ideia por aqui
[28/11 12:03] Lars: Mas tá bom ...
[28/11 12:03] Denes: por favor, agora que começou, não pare
[28/11 12:03] Lars: Pouco antes de conhecer vc eu tinha acabado um relacionamento ...
[28/11 12:03] Denes: hum
[28/11 12:04] Lars: E tipo ainda algo que me deixa balançado e tal ...
[28/11 12:05] Denes: entendi
[28/11 12:05] Denes: ah...
[28/11 12:05] Lars: E tipo não quero mentir pra vc
[28/11 12:05] Lars: Nem ser um cuzao contigo me entende
[28/11 12:05] Lars: Quero ser sincero sempre
[28/11 12:05] Lars: Não só com vc mas comigo mesmo
[28/11 12:06] Denes: então, o livro de Harry Potter que está com vc, foi um presente de um amigo meu que faleceu esse ano, será que posso pegar com vc na catraca amanhã da Santos Imigrantes
[28/11 12:06] Lars: Sim ... Claro ... Mas queria conversar mais com vc pessoalmente
[28/11 12:06] Lars: Se não se importar
[28/11 12:07] Lars: Tenho um presente pra vc
[28/11 12:07] Denes: eu vou me importar
[28/11 12:07] Denes: por favor, sem presentes
[28/11 12:07] Lars: Tudo bem :(
[28/11 12:09] Denes: amanhã as 8:30 te encontro na Catraca
[28/11 12:09] Lars: :( eu lhe entendo sabe ... Mas confesso que gosto de vc e queria que vc permanecesse na minha vida independente de qualquer coisa
[28/11 12:09] Denes: não será possível
[28/11 12:09] Lars: Tudo bem eu entendo vc ... :(
[28/11 12:09] Lars: Me desculpa
[28/11 12:10] Denes: te encontro amanhã na catraca sem falta
[28/11 12:21] Lars: Hj vc sai que horas do trabalho?
[28/11 12:24] Denes: Desculpa, Lars. Mas eu só pretendo te encontrar para pegar o meu livro. Não, temos nada para conversar. Você não me deve satisfações, justificativas ou esclarecimentos. Apenas o meu respeito. Mas, mesmo assim. Esse ponto final precisa ser colocado.
[28/11 12:25] Lars: Tudo bem eu entendo e respeito vc ... Falei de hj pq posso te entregar hj o livro
[28/11 12:25] Lars: Ele está comigo aqui no trabalho
[28/11 12:26] Denes: Eu saio às 18:00
[28/11 12:26] Lars: Posso te entregar hj o mesmo horário ... Na estação melhor pra vc
[28/11 12:27] Denes: Que horas na Santos Imigrantes vc vai passar por lá?
[28/11 12:27] Lars: Umas 19h a 19:30
[28/11 12:28] Lars: Mas espero a sua hora
[28/11 12:28] Denes: Okay, as 19:00 estarei lá
[28/11 12:28] Denes: Se chegar antes estarei sentado em algum dos bancos da plataforma
[28/11 12:29] Lars: Tá bom
[28/11 12:29] Lars: Sei o que vc vai falar ... Mas desculpas :(
Quando ele falou dessa ligação do ex e ficou balançado, eu senti uma enxurrada de sentimentos negativos, o tsunami de chorume que eram as mentiras do Karen voltando a tona. Todas as desculpas esfarrapadas, parecia que eu estava vivendo tudo outra vez.
Eu estava cego, na gana de não querer cometer os mesmos erros do passado, acabei sendo seco, duro e intolerante, condenando um pelos erros de outro.
Eu já tinha sentenciado dentro de mim que aquela viagem foi algo que ele tinha programado com o ex e que tinha ido com ele e que eles tinham se acertado e que ele queria me manter como step se nada desse certo. Enfim…
Nesse mesmo dia, fui buscar o meu livro (um fato curioso, esse livro que foi presente de um amigo que veio a falecer em 2019, foi um presente pra me lembrar o quanto eu sou uma pessoa corajosa, era a edição de 20 anos da Pedra Filosofal nas cores da Grifinória e dentro ele escreveu a famosa frase da Luna "As coisas que perdemos sempre acabam voltando para nós. Mas nem sempre na forma em que pensamos." https://imgur.com/a/ebJFd2U
Ironicamente, quando paro pra olhar isso em particular, penso na grande ironia de tudo.
Eu cheguei antes na estação, fiquei esperando, sentado num banco na plataforma, vendo vários trens passando, várias pessoas descendo na estação vindo depois de mais um dia de trabalho. A minha ansiedade estava a mil, eu queria chorar, estava angustiado com tudo aquilo, pior, sem entender como "tinha cometido" o mesmo erro outra vez.
Ele chegou uns 15 minutos depois, estava com o livro na mão, eu peguei o livro e então ele me estendeu os braços pedindo um abraço, fiz com ele o que eu devia ter feito com o Karen, olhei para ele com a minha pior cara de desgosto e nojo e falei "Adeus", virei as costas e deixei ele lá.
Hoje, não me orgulho do que eu fiz, sinto vergonha quando penso, mas para que vocês entendam aquele gesto, mesmo ele não sabendo, era algo traumatizante, no término com o Karen, quando coloquei minhas malas e meus livros no táxi, ele chegou até mim e na maior cara de pau, na sua maior interpretação pra burguês ver, ele me pediu um abraço e o trouxa aqui cedeu esse abraço, então ele sussurrou no meu ouvido "Sou eternamente grato por tudo o que a gente viveu e você vai sempre poder contar comigo para o que você precisar" e quando eu precisei o que eu ouvi? "Não tenho obrigação nenhuma de te ajudar."
Quando eu saí da estação, bloqueei o Lars em todas as redes sociais, Facebook, Instagram, Whatsapp e até o número dele pra ele não me mandar SMS ou ligar. Não queria nunca mais ouvir falar dele pelo resto da minha vida.
Alguns dias se passaram e a Karls me contou que Lars havia mandado mensagem para ela no Instagram dizendo que estava preocupado comigo, queria falar comigo e eu irredutível falei que nunca mais queria saber nada a respeito dele.
Então ali eu tinha colocado uma pedra em cima desse assunto, vida que segue.
Dezembro de 2019
Karls é uma garota muito linda, mas em todos esses anos de amizade ela só se envolvia com os piores caras do Tinder, uma fase da vida dela que fazemos piada, mas que se você olhar atentamente, era bem triste.
Ela tinha o sonho de conhecer um cara bacana, compartilhar momentos, viver toda aquela fantasia de namoro, dormir abraçada, assistir anime, cantar músicas da Disney e cozinhar todos os pratos possíveis de todos os programas de culinária que existem no mundo.
Depois de anos, esse cara apareceu. Vamos chamá-lo de Darls.
Darls é um cara super carismático, que faz amizade por onde ele passa, falador, contador de piada, solicito, uma pessoa que todo mundo iria adorar ter como amigo.
JANEIRO 2020
Parecia que Darls sempre esteve nas nossas vidas, Akarls e eu o recebemos de braços abertos, pois víamos o quanto ele fazia Karls feliz.
Logo ele começou me pedir dicas e mais dicas de coisas que fariam a Karls feliz e nesses 5 anos de amizade eu era a pessoa que mais sabia de tudo o que a Karls gostava.
FEVEREIRO 2020
Eles oficializaram o namoro, (meio rápido, mas…), então ela entrou numa tour para conhecer todas os amigos dele, pois ele queria apresentar a namorada para as pessoas importantes na vida dele.
Darls mora a 35km de distância, num bairro distante, 2 horas de viagem no mínimo, mas ele sempre estava vindo passar mais tempo aqui.
MARÇO 2020
Pandemia chegou, isolamento social foi instaurado, pessoas em casa. Eu sou editor de vídeo, então estou trabalhando em casa desde que esse inferno começou. E quem acabou vindo para cá, também? Exatamente, Darls.
A companhia dele era agradável, e por vermos Karls feliz, nada objetamos, aceitamos naturalmente a estadia dele aqui. Mesmo que nunca tenhamos conversado isso entre nós, foi natural olharmos para a felicidade dela.
ABRIL 2020
Um mês de quarentena, eu sou uma pessoa ansiosa. Solteiro que passou da barreira dos 30, já havia sentenciado que não conheceria ninguém e morreria só, pois já estava sem esperança de conhecer alguém em um mundo sem um vírus mortal, imagina em um mundo onde estar perto 2 metros de alguém pode ser sua sentença de morte.
Eu comecei entrar numa crise terrível, comecei trabalhar demais, a fazer 12 horas de trabalho por dia e no meu tempo vago eu comecei a assistir todos os filmes e curtas gays já foram produzidos no mundo. E nisso, fiz a burrada de assistir um filme que superestimei por anos.
Brokeback Mountain.
'O que eu fiz da minha vida?'
Eu fiquei tão mal, mas tão mal, que naquela noite eu fui dormir chorando e os dias que se seguiram eu tive tanto remorso pelo final daquele filme, que certo dia eu comecei chorar na frente da Karls e do Darls enquanto a gente almoçava.
No final de abril, meu tio implorou que eu fosse na casa dele, pois estava tendo um problema entre minha mãe e minha irmã e ele estava preocupado da minha mãe acabar se metendo em um avião e vindo pra São Paulo no meio de uma pandemia. Fui, como se eu já não estivesse colapsando, ainda tinha que resolver o problema de outras pessoas.
Naquela semana, eu assisti um vídeo, tenho 80% de certeza que foi no LubaTV os outros 20% acho que foi no canal do Henry Bugalho, que falava sobre perdão, algo do tipo "se não perdoamos, do que adianta pedirmos desculpas" e eu já estava muito reflexivo.
De noite, eu estava no apartamento do meu tio, quando recebi uma notificação de que alguém tinha me seguido no Twitter.
Abri a notificação e vi que era o Lars me seguindo quase 6 meses depois. Ele não tinha twitter e tinha criado uma conta por causa da quarentena.
Minha primeira reação foi bloquear ele, mas aí bateu aquele turbilhão de coisas acumuladas nessa quarentena. O final de Brokeback Mountain, a fala sobre perdão e um detalhe sobre o Lars que pesou muito, ele tem diabetes, acho que é um tipo raro, ele desenvolveu super novo, ele toma dois tipos de insulina, ele é grupo do risco.
Sentei no sofá e me perguntei, 'o que ele queria depois de todos esses meses? Ele não entendeu o meu "Adeus"?'
Pois, bem. Fui até o Instagram, desbloqueei ele e mandei a seguinte mensagem:
"O que você quer?"
Ele levou uma meia hora pra me responder, o 'digitando…' parecia eterno.
Resumindo, ele falou que se importava muito comigo, que eu marquei a vida dele, que nunca quis se distanciar de mim, que jamais foi a intenção me magoar com o que quer que tenha acontecido e que nunca dei a oportunidade dele se explicar.
E eu respondi, que não importava o que ele tivesse para me dizer, não ia mudar a opinião que eu tinha sobre ele.
Ledo engano, meus caros.
Fui dormir às 4 da manhã, tirei tudo de dentro de mim, tudo o que eu inventei na minha cabeça. Porque no meu relacionamento anterior eu ouvi tantas mentiras, que acabei jurando que qualquer um iria mentir para mim, era o único referencial que eu tinha.
Só para que vocês saibam, era realmente um amigo, as fotos que ele tirou junto com o amigo no Beto Carrero, foram todas no celular do amigo a folga da Terça-feira, o chefe dele estava devendo uma folga para ele e como ele não iria poder tirar essa folga a mais do que as que estavam previstas para Dezembro, o chefe deu a folga pra ele na terça para que ele aproveitasse mais um dia de viagem. E sim, o ex dele ligou, ele ficou balançado, pois eles tinham tido uma história recém terminada, mas ele me contou, primeiro porque eu insisti, mas também porque ele não queria mentir pra mim, já que eu tinha todo esse problema com mentiras, então ele queria ser honesto comigo desde o início e que nunca foi a intenção dele voltar com o ex, tanto que ele não voltou, ele queria estar comigo, e que mesmo tendo passado todo aquele tempo ele nunca tinha me esquecido e não tinha desistido de mim.
Eu falei para ele que não sabia como reagir a tudo aquilo, disse que não sabia se seria capaz de confiar nele. E que ele não tivesse esperança, mas que eu iria refletir sobre tudo aquilo.
Então eu voltei pra casa e compartilhei a história com Karls e Darls.
Karls ficou meio com o pé atrás, mas Darls me apontou os erros que eu cometi, me fez enxergar o quanto eu tinha exagerado pelo medo e desconfiança que eu tinha, que não tinha nada a ver com Lars e minha ficha caiu.
Agora, tudo o que me restava era o meu orgulho, eu precisava passar por cima disso.
Voltei a conversar com Lars, aos poucos, foi difícil no início, mas ele foi muito tolerante, eu expliquei que não estava sendo fácil voltar a conversar com ele, mas que compreendi que muito daquela situação era culpa minha.
Ele começou a me mandar mensagens de manhã e a noite, de bom dia e boa noite e esporadicamente algum meme. Foram duas semanas conversando quando houve a necessidade da gente se ver. Eu não sabia como iria reagir.
Sim, ele viria aqui em casa no meio de uma quarentena, mas antes que cresça os julgamentos, moramos próximo um do outro, ele viria a pé, sem pegar nenhuma condução e num horário de pouco fluxo.
MAIO 2020
Então comuniquei que ele viria aqui em casa para Karls, Akarls e Darls. Aparentemente, achei que todos tinham recebido a notícia de bom grado.
Ele veio, a primeira coisa que ele fez foi ir para o banheiro tomar banho, com Covid não se brinca. Depois, sentamos e conversamos, e mais uma vez, eu falei tudo de novo, dessa vez olhando no olho, colocando tudo a limpo, uma conversa franca, contei de todas as impressões que eu tive de tudo o que aconteceu, como a narrativa se construiu na minha cabeça e porque agi da maneira que agi.
Em contra partida, ele disse que estava tudo bem, disse que ficou muito chateado, mas os amigos dele conversaram com ele dizendo que tinha um motivo para eu agir como eu tinha agido. Ele me falou que nunca me esqueceu e queria ter uma oportunidade de conversar comigo e esclarecer as coisas, pois sabia que tudo tinha sido um grande mal entendido. Ele falou que mandou várias mensagens para a Karls, mas não obteve resposta. E quando ele me mandou o convite no Twitter, ele disse que seria a sua última tentativa de se aproximar de mim, se não desse certo, ele mesmo desistiria de tudo.
Ele passou três dias aqui em casa, eu não me abri tanto com ele com relação a isso, mas eu senti muito remorso por como as coisas aconteceram por minha causa.
Outra coisa, lembra na mensagem, quando ele falou que tinha um presente para me dar e eu falei que não queria? Ele trouxe o presente, ele guardou o presente todo esse tempo e disse que toda vez que via o presente, ele lembrava de tudo o que a gente viveu e a coisa que ele mais queria era me dar esse presente, que ironicamente ele comprou na viagem para o Beto Carrero.
Era um funko do Harry Potter, já que eu amo muito Harry Potter. (Não, não sou transfóbico, eu amo Harry Potter desde 2000). http://imgur.com/gallery/cah0Ry7
Ele voltou pra casa dele. Continuamos a nos falar, reatar laços, ter essa troca.
Compartilhei minhas impressões com Karls e Darls, eu estava relutante, desacreditado. As pessoas subestimam relacionamentos abusivos, mas a gente carrega coisas por anos, os estragos são terríveis, estava eu provavelmente estragando uma oportunidade de ser feliz por medo de ser feliz.
As coisas foram devagar, estávamos conversando de nossas rotinas na quarentena, ele o quanto sentia falta do trabalho e não aguentava mais assistir séries e eu o quanto estava trabalhando e engordando, já que editor de vídeo trabalha em casa, praticamos isolamento social antes disso "estar na moda" (✌️ salve editores do canal, eu juro que tô escrevendo essa história que já passa de 4 mil palavras, pensando se realmente o Luba lerá essa história na Turma-Feira, fico imaginando no trabalhão que vocês vão ter pra editar, se eu puder pedir, posta a Timeline pra eu ver como ficou no final, curto muito timelines [Sim, pra quem não entende, isso é meio creep]).
JUNHO 2020
Lars voltou, veio para estar comigo no meu aniversário, inclusive ele me presenteou com Find Me do André Aciman, ele disse que queria me dar a muito tempo, pois em novembro do ano passado eu estava lendo Call me by your name e eu estava namorando pra comprar o livro quando fosse lançado, mas não deu nem tempo dele poder comprar na época.
No meu aniversário, resolvi cozinhar para comemorar, fazer escondidinho de frango. Eu estava de folga e queria fazer algo especial para Karls, Darls, Akarls e Lars. Eu passei a tarde e começo da noite cozinhando e Lars me ajudando.
Então, aconteceu o estopim de todo o caos.
Karls e Darls desceram e viram que o escondidinho não estava pronta ainda, ela fechou a cara e disse "Nossa, ainda não está pronto?". Depois eles fizeram um sanduíche e comeram e subiram, bastou aquilo pra me entristecer, até entendo que ela poderia estar com fome, mas ela bater porta de armário e a porta da geladeira acabou todo o meu ânimo, me senti super mal.
Comi aquele escondidinho triste, o clima na mesa estava tenso e na boa o que era pra ser uma comemoração no que eu acreditava ser entre família, foi a porcaria de um jantar de aniversário que eu perdi tempo fazendo.
Lars voltou pra casa dele, continuamos nos falando e estreitando os laços, aproveitando a companhia um do outro, e finalmente no meio de toda essa situação de merda que estamos vivendo no planeta, senti uma esperança de que talvez tudo daria certo, pelo menos uma vez.
Mais uma vez, ele veio passar o fim de semana aqui em casa, e foi divertido, assistimos filme, contamos piadas e o melhor, eu estava podendo dormir abraçado com ele, por a cabeça no travesseiro e não me sentir só.
JULHO 2020
O mês do caos, eu odeio Julho, por tantos motivos, sério. Eu tenho inúmeras histórias de desgraças nesse mês que PQP (Gif da Xuxa).
Lars me mandou mensagem dizendo que ele teve uma briga terrível com o sobrinho dele, na briga eles só faltaram sair na porrada, ele falou que estava mal por estar na casa da irmã dele e por toda essa indisposição com o sobrinho que tem 18 anos e é um completo folgado. Ele disse que iria procurar um lugar pra ficar, mas até lá, ele perguntou se poderia ficar aqui até encontrar esse lugar.
E como eu já fui colocado pra fora de casa pelo meu tio e me vi sozinho, eu sei o quanto é importante ter alguém pra estender uma mão amiga nessa hora.
Eu respondi que sim, mas que ia comunicar o Karls e o Akarls. Expliquei a situação Lars e eles falaram que tudo bem.
A Karls começou a fazer um freela permanente em um grande estúdio aqui de SP, então ela já não estava ficando em casa e quando estava, ficava a maior parte do tempo com o Darls, que ficou aqui em casa, mesmo ela trabalhando regularmente, já que as coisas estão flexibilizadas por aqui.
A princípio, Lars ficaria aqui até dia 10, ele tinha acertado de ir morar com um pessoal que ele achou num grupo do Facebook, mas o lugar onde esse pessoal ia morar não deu certo, pelo o que ele me contou, foi lance com a Porto Seguro, ele ficou decepcionado, porque os meninos eram legais. Então, ele voltou para a busca de encontrar um lugar pra ficar, eu inocente disse que ele poderia ficar o tempo que precisasse.
Interiormente, eu queria me redimir por toda a injustiça que foi o nosso início, queria fazer certo dessa vez, pois ele estava sendo bom pra mim e eu nunca tinha tido isso, esse convívio.
Enquanto ele estava aqui, comecei a ter companhia para o almoço, passei a comer direito, já que ele é obrigado a comer certo por causa da diabetes, eu estava até me alimentando nos horários certos. As noites assistíamos séries abraçados, até a hora de dormir. Parecia um oasis no meio de todo esse inferno que estamos vivendo, por um único instante eu esqueci de tudo de ruim.
Nesse período, ele estava procurando vários quartos, mas só encontrava cativeiros sendo alugados por mercenários.
Conforme o mês ia passando, Karls estava bem estressada com tudo e quando estava todo mundo na cozinha, ela parecia evitar querer falar com ele. No início, eu pensei que fosse TPM ou alguma coisa em particular dela com Darls.
Mas eu tive certeza que era alguma coisa com o Lars, no dia que estávamos jantando e ela veio informar que o botijão de gás tinha acabado e ela tinha comprado um novo, mas ela insinuou que estávamos cozinhando demais. Eu fiquei, sem reação, pois não esperava por aquilo, como eu falei, ela e o Darls estavam fazendo todas as receitas que existiam na internet, como que o Lars 10 dia aqui era a causa do botijão ter acabado?
Então aquilo começou a ficar espinhoso e o meu erro foi não ter confrontado. Eu comecei a me sentir acuado com o Lars e não sabia o que fazer, ele já estava numa puta situação frágil por ter saído da casa da irmã por indisposição com o sobrinho e a coisa que eu mais queria era que ele se sentisse confortável na minha própria casa.
No meio de tudo isso, ele voltou a trabalhar e eu passei a acordar cedo junto com ele, pra tomar café e abrir o portão pra ele poder sair, num desses dias, eu levantei e fui no banheiro e enquanto eu usava, a Karls bateu na porta perguntando quem é que estava lá dentro de uma maneira meio ríspida, no caso era eu, mas o Lars viu a situação toda, ele não me falou, mas eu reparei que ele parou de tomar banho de manhã antes do trabalho. Dizia ele que o banho da noite era suficiente.
Depois, ele parou de tomar café da manhã, disse que tomaria café na cafeteria que ele trabalha.
A próxima coisa que aconteceu foi um dia que eu estava na cozinha e fui informado que Karls e Akarls decidiram que não iríamos mais fazer as compras de mercado juntos. E que só manteríamos os produtos de limpeza e higiene e que o resto era cada um por si.
Confesso, que na hora não compreendi o que estava acontecendo, eu estava muito desligado, na verdade não acreditava que os meus amigos estavam me excluindo por causa do Lars, eu estava sendo ingênuo, pois não imaginaria que aquilo estava acontecendo.
No meio desse caos todo, Lars, virou pra mim e disse que a irmã dele pediu que ele fosse na casa dela. Então ele iria direto do trabalho e dormiria lá no sábado para o domingo, já que estaria de folga e voltaria pra cá no domingo a noite.
Só que ele não voltou, ele disse que a irmã dele pediu para que ele dormisse lá mais uma noite. Pensei, okay, ele vem então amanhã direto do trabalho pra cá, mas aí ele não veio na segunda, foi quando o peso de tudo bateu.
A essa altura eu já estava angustiado com tudo aquilo e direcionei minha frustração para o lado errado, em vez de confrontar quem estava causando toda essa situação insatistória, eu cobrei dele, porque ele não estava aqui. Perguntei, porque ele não queria estar mais aqui. Ele falou que queria. Então, eu perguntei porque o domingo, virou segunda e agora a segunda virou terça? Ele hesitou, aí eu perguntei se era por causa da Karls e ele disse que só não queria incomodar ninguém.
Eu fiquei mal, por ele se sentir mais incomodado na minha casa do que na casa da irmã dele com o sobrinho folgado que estava fazendo da vida dele um inferno.
Fiquei desapontado, ele veio na quarta, conversei com ele, disse que iria conversar com a Karls sobre toda essa situação. Mas já era tarde.
Era a última semana de Julho, e antes mesmo que eu pudesse conversar com a Karls, Akarls chegou dizendo que não dava mais para dividirmos a conta de água como estávamos fazendo, por 3, teríamos que dividir por 5, já que a conta ficou mais cara.
Na sexta-feira daquela semana, Lars encontrou um quarto numa casa que ele meio que alugou as pressas e ele se mudaria na primeira segunda de agosto. Quando eu pude confrontar Karls, no sábado, sobre tudo aquilo, já era tarde. Falei que fiquei chateado deles quererem repartir a conta da casa por 5 com o Lars pelo mês que ele passou aqui, mas isso nunca foi nem cogitado nos 5 meses do Darls aqui. Falei que fiquei decepcionado por ela não ser capaz de enxergar a minha felicidade. Por não ser capaz de ver o quanto eu estava feliz, como eu enxerguei a felicidade dela com o Darls e o recebemos de bom grado dentro de casa por causa da felicidade dela. Disse que foi muito cômodo pra ela ter alguém pra poder dormir junto, assistir coisas juntos, ter os momentos a dois e quando eu pude ter o mesmo, ela não olhou para mim com os mesmos olhos.
Enfim, Lars se mudou, tomei esse tempo que poderia estar assistindo uma série com ele para escrever tudo isso. Angustiado e decepcionado. Darls não tem culpa de nada do que está acontecendo, mas agora acho completamente injusto ele estar aqui e o Lars não estar, não sei o que fazer, minha vontade é de falar, "acabou a quarentena para os dois, pode voltar para sua casa". Me sinto injustiçado e triste por alguém que eu amo tanto, não ter sido capaz de enxergar que eu estava feliz. É isso, estou esperando a próxima sessão da minha terapia e Karls e Darls estão lá no quarto dela e eu estou só.
E para finalizar, essa foi minha conversa agora a pouco com o Lars.
Lars https://imgur.com/gallery/PRrxEI6
submitted by denesfernando to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.02 00:38 Leh_V Minha vida é totalmente controlada e nunca vou poder ser quem eu sou

(Vou tentar resumir, mas a história é grande) Pra fazer sentido, vou contar desde quando eu era criança. Eu era totalmente apaixonada por um garoto que é da minha igreja e sempre estudamos nas mesmas escolas. Vou chamar de JP. E ele sentia o mesmo por mim, sempre nos falávamos pela internet, jogávamos juntos... mas o tempo nos afastou.
Depois de uns anos, eu acreditava estar apaixonada pelo primo dele, vou chamar de EL. Então, começamos a namorar, ele era carinhoso e meus pais gostam muito dele. Inclusive, ele é da nossa igreja. Somos evangélicos, e minha família é muito cabeça fechada, inclusive o EL. Depois de tempos, fui totalmente controlada por ele, desde as redes sociais até minhas roupas. Ele já me fez escolher entre usar uma calça no frio ou namorar ele.
Eu sempre acreditei que iria mudar, mas não. Toda vez que tentava terminar, ele não aceitava e eu perdia as forças de fazer isso. Nesse namoro eu nunca fui quem eu sou de verdade, comecei a ter crises de ansiedade, meu pescoço ficava vermelho e eu perdia o ar.
Mesmo com tudo isso acontecendo, não sei por que, mas o JP (do começo da história) ainda mexia comigo. Eu via ele TODOS os dias, na escola ou igreja, e a gente trocava olhares, eu sabia que ele ainda sentia o mesmo por mim.
Eu e EL fizemos sexo 3 vezes, isso pode parecer normal, mas pra minha família é um absurdo. Só a minha mãe descobriu e praticamente me obrigou a ficar com ele com o objetivo de casar, mas dessa vez eu não aguentei mais: terminei com ele faz 2 semanas.
Nessas duas semanas, eu falei com o JP. Mandei parabéns pra ele e no dia seguinte ele mandou parabéns pra mim (ele faz aniversário dia 27 e eu dia 28), nós conversamos muito e eu me senti muito bem como a muito tempo não sentia. Descobri que ele nunca deixou de gostar de mim (não descobri por ele, mas por uma amiga).
Depois de 2 dias conversando com o JP, o EL descobriu isso e contou pra minha mãe. Como disse, ela é cabeça fechada. Tomou meu celular e agora eu só obedeço as ordens dela. O EL vem me ameaçando contar pra igreja o que fizemos, e se ele fizer isso, minha vida vai estar totalmente acabada. Principalmente por causa da minha família que vai se virar contra mim, e por causa de todo o falatório que vai virar. Mas eu resolvi não deixar os medos tomarem minhas decisões, e não voltei atrás.
Para a minha mãe, o EL diz que não vai contar o que fizemos pra igreja, mas eu sempre vou viver com esse medo de ele contar, e meu mundo desmoronar. Não sei o que meu pai seria capaz de fazer se descobrisse.
Falando no meu pai, há 2 dias ele me seguiu na rua pra ver onde eu estava indo (eu disse que iria caminhar pra espairecer), quando cheguei em casa ele só faltou me bater por achar que eu tinha feito alguma coisa errada. Então eu tenho muito medo do que ele é capaz.
Enfim gente, não sei nem se estão lendo KKKK provavelmente não, mas estou vivendo numa prisão. Tudo que eu mais queria é ser livre, poder ficar com o JP, porque eu descobri que nunca deixei de gostar dele de verdade. Como minha mãe e meu ex me proibiram de falar com o JP por toda a VIDA, o JP me comprou vários chocolates e pediu pra uma amiga me dar.
Eu só queria meus amigos do meu lado, nem com eles posso conversar. Gente, não sei mais o que fazer da minha vida, agora só estou acompanhando. Acho que nem conselhos existem pra essa situação.
submitted by Leh_V to desabafos [link] [comments]


2020.07.30 04:19 Alucard181 Me apaixonar pela minha melhor amiga foi o pior erro que cometi.

Estou me arriscando bastante ao postar isso aqui pois há uma grande chance dela ler esse post e descobrir quem foi que escreveu (pelo vocabulário dela eu percebo que ela frequenta fóruns na internet e se ela ver meu nick aqui, ela descobrirá que foi eu)
Vai ser um pouco difícil para eu escrever essa história e expôr publicamente, por mais que anonimamente, mas sinto que preciso tirar isso do meu peito...
Nos conhecemos pela internet nos tornamos ótimos amigos, conversavamos todos os dias sobre diversos assuntos, jogavamos minecraft juntos, enfim... Ela é uma pessoa maravilhosa, sempre me ajudou, sempre se preocupou comigo - se eu estava bem, sempre me apoiou e me incentivou a fazer as coisas que eu gosto - eu me sentia muito bem quando estava com ela, tudo parecia flores...

Foi aí que eu percebi que estava apaixonado por ela, tentei suprimir ao máximo, pois eu sabia que ela gostava de outro rapaz. Mas me mantive otimista, já havíamos conversado sobre relacionamentos, namoro, etc. e ela disse que namoraria comigo e eu retribuí dizendo que ela era uma pessoa incrível e que adoraria namorar com ela; mas a conversa não passou disso. E então eu recebi a notícia que ela estava namorando, e isso simplesmente me destruiu, eu não consegui mais manter a amizade, constantemente ela vem me dizer que sente minha falta e isso corta meu coração. Eu também sinto a falta dela, penso nela todos os dias e quero estar com ela a todo momento...

Me sinto perdido, por não saber o que fazer, se devo ter esperanças que um dia vamos ficar juntos, se devo e como esquecer ela e superar; Me sinto um trouxa por me apaixonar por uma pessoa que mora tão longe; Me sinto triste por ter perdido minha amiga, me sinto só, tenho poucos amigos e ninguém era tão especial como ela. Me apaixonei pela minha melhor amiga e isso custou toda a minha sanidade mental.

Obrigado por ler até aqui, deixe um comentário ou só um upvote que eu já estarei feliz. Tudo de bom a você.
EDIT: Nossa, quando eu postei esse texto, eu imaginava que não iria receber sequer o mínimo de atenção, principalmente sendo meu primeiríssimo post aqui no Reddit. Muito obrigado a todos que usaram o tempo livre de seu dia para comentar aqui; um abraço.
submitted by Alucard181 to desabafos [link] [comments]


2020.07.29 01:02 heartlessncold Problemas familiares

Desde que eu me entendo por gente, minha mãe sempre me cobrou que eu agisse da forma como ela bem entendesse e, quando isso não acontecia, ela me manipulava/reprimia ou até mesmo me tirava coisas básicas (tipo aqueles pais que não te deixam jantar porque brigaram com você).
Quando fui crescendo, fui percebendo certos sinais disso e comecei a mentir para me livrar de certas exigências dela. Eu não podia, mesmo indo e voltando sozinha da escola (que era no centro do rio de janeiro) sair com as minhas amigas, ter um namorado e nem nada disso até os meus 18 anos. Mentia para conseguir sair, mentia para conseguir namorar e tudo isso (e sim, sei que isso é errado, mas era o jeito que eu encontrava na época).
O período maior de privações que ela me fazia passar em relação a vida social e amorosa só afrouxou quando eu fiz 18 e entrei pra faculdade. Mas, ainda assim, ela tenta me manter sob o controle dela das formas mais manipuladoras possíveis - recentemente até admitiu que fez de tudo pra eu terminar um namoro que tive em 2018.
Bom, agora eu estou namorando outra pessoa, que é totalmente livre e tem uma ótima relação comigo e com as pessoas ao seu redor. Porém, quando essa pessoa está perto dos meus pais, eles fazem questão de que a conversa envolva apenas eles e meu namorado, me excluindo totalmente de algo que eu deveria participar. Isso me deixa triste e, acima de tudo, incomodada porque, na verdade, o namorado é meu.
Pois bem. Esse fim de semana meus pais viajaram e voltaram domingo à tarde e meu namorado estava aqui (eles sabiam disso). Dessa vez, eles não conversaram muito com ele porque foram fazer as coisas deles e eu pensei "ah, tudo bem, eles devem ter percebido que não é pra ficar alugando o cara enquanto ele tá aqui claramente por causa de mim".
Nada disso.
Ontem eles começaram uma briga horrível comigo, me xingando e dizendo que eu sou uma filha da puta incapaz, arrogante de merda e que eles esperam que eu me foda muito pra perceber que nem eles próprios estarão ali por mim. Inclusive, falam que eu nunca consegui nada sozinha, que foi tudo eles que me deram (isso porque eles são professores e eu sou estudante de direito - ou seja, são áreas totalmente diferentes e que eles nunca sequer entraram em contato. Além disso, eu estudei a vida toda em instituições públicas, elaborei meus projetos e fiz minhas coisas sempre sozinha). Desde ontem, sinto vontade de sumir dessa casa mas, infelizmente, não tenho recursos financeiros pra isso - até porque, eles deixam bem claro que vão virar as costas pra mim se eu sair de casa.
Já tentei conversar, mostrar meu ponto de vista, buscar um ponto comum mas, sempre que isso acontece, eles me mandam calar a boca e todos os xingamentos retornam. Não sei mais o que fazer. Não consigo atendimento psicológico e estar 4 meses em casa com eles só piora tudo. Sinto saudades da vida normal justamente porque não precisava aturar esse tipo de coisa o dia inteiro.
submitted by heartlessncold to desabafos [link] [comments]


2020.07.20 00:59 astral1999 fui praticamente obrigado a me casar com 18 anos ( atenção pf)

eu namorava uma menina, e o pai dela é uma daquelas pessoas rígidas de costumes antigos, pedi para ele para namorar com a filha, e ele autorizou, depois de um ano mais ou menos tivemos nossa primeira relação sexual, e o pai dela ficou sabendo, então ele chegou a me ameaçar, e tambem falou que ou eu casava com ela ou ele levaria ela embora pra muito longe, de acordo com ele nós tinhamos que nos casar para a filha dele não ficar com o nome manchado, e eu entrei em um grande conflito com minha familia para casar, o que causou muito sofrimento pra mim, mas casei com 18 anos de idade, foi um dia muito triste e eu tive que fingir sorrir a noite toda, e hj em dia estamos a 3 anos juntos, com um casamento que é um namoro, pois nós ainda não moramos juntos nem trabalhamos, mas assim, as vezes, eu passo na praça da minha cidade, vejo pessoas da minha idade se divertindo, aproveitando a juventude, e sinto vontade de estar lá, as vezes sinto vontade de ter uma vida de solteiro, conhecer novas pessoas, novas experiencias, as vezes me sufoca sabe, mas não posso terminar isso, ela me ama tanto sabe, me ama muito, quer ficar cmg pra sempre, se eu terminasse nosso relacionamento, a vida dela viraria um inferno, mas como eu disse, as vezes eu sinto a necessidade de me sentir livre, a vontade, até mesmo curtir uma solidão. o que vcs acham da minha história?

edit: vcs acham que eu deveria tentar me adaptar e tentar viver uma vida feliz com ela, ou terminar tudo e aproveitar minha juventude?
submitted by astral1999 to desabafos [link] [comments]


2020.07.16 22:01 vivihelriguel MEU PRIMEIRO CORAÇÃO PARTIDO E O DESASTRE DEPOIS DISSO

Essa históra será muuuito longa e é mais um desabafo, entendo q após ler vc pode me achar um ser humano horrível e eu entendo, mas me arrependi muito das minhas ações se serve de alguma coisa.
Olá Luba, editores, papelões sobreviventes, gatas e turma q está a lever.
Bem minha história aconteceu ano passado (ahh saudades de 2019) eu tinha 14 anos quando tudo começou. Por uns 3 anos eu tinha uma queda pelo meu melhor amigo q é gay e tipo eu sabia disso mas continuava a gostar dele, mas em Agosto eu decidi superar esse meu amigo.E é ai q a merda começa, eu comecei a "olhar" de uma forma diferente para um outro amigo meu (vamos chamar ele de Varls) ele sempre se abria comigo e eu lembro q em um dia o Varls me contou de um dia q ele pegou uma amiga dele no cinema (e eu fiquei puta de ciúmes , do nada) foi ai q eu percebi q gostava dele muito além q um amigo , e é claro q eu comecei a ficar meio boba perto dele e tava na CARA q eu gostava dele. Passou 1 semana e eu disse pra mim mesma q "não" gostava mais dele (na real acho q só guardei esses sentimentos).Em um dia a minha sala fez tipo uma excursão pra outra escola (estávamos no 9° ano e não tinha ensino médio na escola ai nos levaram nessa escola pra ver como era) dividiram a nossa sala em 2 grupos o 1° grupo ninguém liga era todos um bando de chatos metidos, já o 2° grupo era formado por eu, meus amigos (incluindo meu amigo gay) e o varls. Eu e meu amigo gay sempre fomos bem próximos (ele sempre foi perfeito acho q por isso tive uma queda por ele) eu sempre segurava a mão dele SEMPRE e só a mão dele (era o único menino q eu andava de mão dadas), até q em um momento o Varls simplesmente segurou na minha mão (eu sei é algo normal, MAS PRA MIM NÃO) e eu deixei é claro, ai o meus sentimentos voltaram pra me fuder.No dia seguinte dessa excursão eu toda trouxa iludida q sou fui perguntar pro Varls qual menina q ele tava gostando e ai ele toodo tímido falando tipo "ain nun sei, vc conhece ela muito bem" até q ele falou q era eu. E ai vc vai começar a ver as minha atitudes questionáveis, quando ele falou isso eu entrei em pânico total parece q na minha cabeça começou a soar uma sirene dizendo "ALERTA VERMELHO, ALERTA VERMELHO" o engraçado foi minha melhor amiga Mariana (vou expor ela sim, guardem esse nome ela é uma peça importante nessa história) já toda feliz dos dois amigos dela namorando e tals (coitada outra iludida igual eu kakakaka).Depois q ele se declarou pra mim (detalhe, ele já sabia q eu gostava dele) eu fui uma completa idiota, escrota e babaca com ele; comecei a evita-lo a TODO custo, não dei satisfação nem nada só comecei a ignora-lo (me arrependo muito dessa atitude imatura minha), mas era oq eu sabia fazer de melhor fugir ou tentar fugir dos meu problemas. Bom depois de um tempo sendo MUITO fria com ele a gente voltou a conversar normalmente como éramos antes, conversamos muito principalmente pelo discord.Acho q se passou alguns meses, acho q a gente ja tava em outubro só não lembro se isso aconteceu antes ou depois do meu aniversário a gente tava conversando eu, Varls, dona Mariana e um outro amigo (ele é irrelevante) o Varls fala: "eu sei q vc ainda gosta de mim Vitória" eu eu fiquei tipo ??????? ai a Mariana (te amooo) falou: "e vc Varls ainda gosta dela?" e ele disse q TALVEZ, ai o sentimentos q estavam se normalizando em mim voltaram com força total (novamente pra me fuder). Depois virou meio q um vai e vem sem nenhum dos dois se assumindo ou tentando algo, eu por ser insegura e não estar me sentindo preparada e ele pq sei lá; nossos amigos (a gente tem o mesmo círculo de amizade) seeeempre me falavam pra eu dar uns pegas nele só q por mais q eu queria não me sentia pronta e nem segura sobre ele (como eu havia dito antes ele se abria comigo e naquele ano ele me falou q teve uma queda por umas 3 meninas da minha sala antes de mim, e eu fui a única q correspondia ele) não sei oq ele sentia por mim e eu não iria dar um salto de fé (nem fudendo). Por impaciência dos meus amigos eles meios q nos "forçaram" a algo o Varls por livre e expontânea pressão dos nossos amigos ele decidiu me pedir em namoro, levou anel e tudo, e ele se ajoelhou e pediu e eu aceitei pq tipo tava todo mundo em volta e fiquei com vergonha de dizer não, passou uns 4 minutos q ele me pediu e eu fui e chamei ele pra um cantinho e devolvi o anel, expliquei pra ele q aquela não era a hora pra mim ainda era muito imatura, mas ele não aceitou o anel e disse pra eu ficar com ele (o anel era mó bunito) OBS: perdi o anel depois hihihihihhi. A nossa amizade aparentemente continuou a mesma e eu fiquei bem feliz com isso (por mais q a gente não fosse namorar ainda estimava a amizade dele); corta pra dezembro último dia de aula, eu toda bobinha com ele esperando ele chegar na nossa festinha, esse último dia foi terrível eu e meus amigos não iriamos estudar mais juntos (estudamos por 4 anos juntos), foi uma choradeira e quando eu fui abraçar o Varls (detalhe: eu pedi pra ele ir pra mesma escola q eu ia,mas ele foi pra uma mó cara (burguês safado)) ai eu perguntei chorando litros: "a gente ainda vai se ver?" e ele disse na forma mais fria "não sei" (não escorreu uma lágrima). Esse momento é irrelevante pra história mas quero compartilhar: quando eu fui embora dei um beijo na bochecha dele e disse "adoro seu cheiro" (aliás o perfume dele era a perfeição, mas sinto uma vergonha de ter dito isso ). Corta para o começo do ano de 2020, comigo ainda sentindo algo pelo Varls e pedi para Mariana (minha fadinha linda perfeita) mandar meu novo número de celular para ele, pra ver no que ia dar, eu e Varls conversamos mas sei lá a gente não dava certo como antes, mandava mensagem no celular da Mariana fingindo ser ela (totalmente autorizado pela própria), ate q ela decidiu perguntar se ele ainda gostava de mim e eu iludida esperançosa com a resposta (sou um pouco bipolar e contraditória eu sei) bom a resposta não foi oq eu esperei, na verdade ele disse q não sabia bem ao certo e que queria só seguir em frente, essa resposta me quebrou e eu decidi fazer o mesmo né (eu já tava imaginando a nossa vida juntos, misericórdia sou muito trouxa) mas mesmo assim ele conversava e me ligava pelo discord BASTANTE, ate q um dia (eu ja estava "bem" em relação a ele) a gente começa a conversar pelo Whatsapp e ele me manda uma foto de açai (eu amo açai) e falo "se eu sonhar com açai essa noite é culpa sua" e ele me responde com "se eu sonhar com vc é culpa sua" E FIQUEI DOIDA, pouco tempo depois ele saiu da conversa (passei a noite quase toda pensando nessa maldita frase) no dia seguinte questionei ele e o Varls simplesmente disse q era uma brincadeira, isso me quebrou, depois foi eu lá mandar mensagem dizendo q ainda gostava dele e ele disse "ata" só isso, chorei horrores. O incrível q ele é super frio, e grosso comigo a Mariana tbm concorda comigo q ele é super frio, isso me deixa triste pq eu ainda gosto dele e ver q ele superou tão rápido e eu to aqui na fossa é uma merda, além disso a nossa amizade não é a mesma não temos a mesma intimidade e dinâmica de antes, e acho q não o conheço mais, em algumas vezes ele ainda é legal comigo em outras é frio, quando eu não converso com ele ta ok mas quando a gente conversa tudo começa a voltar EU TO PIRANDO DE LEVE.
Eu tenho a teoria de q ele é frio comigo como vingança pelo q fiz antes a ele mas ele tbm é frio com a Mariana, aliás eu pedi desculpas pelo q fiz antes e ele meio q me desculpou.
tá ai meu desabafo, relevem qualquer erro ou algo do tipo
submitted by vivihelriguel to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.16 16:22 fobygrassman ENCONTRE MULHERES CASADAS PORÉM CARENTES em menos de 2 horas e desfrute de um caso esta noite e curta um caso agora!

5 Maiores Razões Mulheres Casadas Traem & Como Conhecê-las De uma dona de casa traidora real
Como uma mulher casada há mais de 7 anos e que “pulou a cerca” várias vezes, fui convidada a escrever este artigo e fornecer algumas idéias para vocês, curiosos sobre o que faz com que uma mulher casada traia e como vocês podem seduzi-las.
As mulheres casadas traem por muitas das mesmas razões que os homens casados traem; Elas são felizes em certas partes do casamento e muito infelizes em outras.
Maiores Razões Mulheres Casadas Traem: 1. Seu marido não a faz mais se sentir sexy / desejável. Depois do meu terceiro ano de casamento, encontrei meu marido e eu “familiarizados de mais” um com o outro. Eu percebia que ele não olhava para mim da mesma forma que ele costumava, com luxúria e desejo, apesar de estar muito mais em forma agora que quando nos casamos.E me vi procurando homens que me olhassem como meu marido quando nos conhecemos.
  1. Quer explorar desejos sexuais (kinks) aos quais ela era imatura demais ou desconhecia em sua juventude. Casei aos 25 anos e, para ser sincera, eu era relativamente inexperiente sexualmente. Eu tive alguns relacionamentos de longo prazo antes do meu marido, mas éramos jovens e o sexy era baunilha, e eu era jovem demais para realmente saber que tipo de “kinks” eu gostava naquela idade. Agora estou casada há 6 anos e o pensamento de fazer meu marido explorar essas fantasias sexuais parece impossível.
  2. Seu marido a vê como uma cuidadora e não um ser sexual. Depois do meu primeiro filho, notei uma queda imediata no sexo e na intimidade, mas isso é de se esperar. No entanto, faz três anos desde então e a intimidade nunca se recuperou. Ele vê eu como uma cuidadora e uma mãe em vez de um ser sexual agora, e é sua perda. Até perdi o peso da gravidez o mais rápido possível e voltei imediatamente à academia, na esperança de que ele aumentasse a vida sexual novamente.
  3. Seu marido a vê como uma cuidadora e não um ser sexual. Nas raras ocasiões em que meu marido inicia a intimidade, geralemnte é apressado e unilateral, e geralmente sem preliminares; tenho certeza que é bom para ele, mas não me satisfaz. Isso me faz sentir como uma “ferramenta” para ele ter orgasmo e tenho certeza que ele percebe que não estou entusiasmada.
  4. Sem paixão, sem excitação, sem emoção. Quando a gente fica íntimo, é sempre em casa, na cama e provavelmente planejado. Quero experimentar lugares novos e emocionantes, ao ar livre, etc. Quero um homem que rasgue minhas roupas no segundo em que chegarmos ao quarto do hotel.
Como atraí-las: 1. Lembre-se de que as mulheres casadas que procuram casos online começam aos poucos e ficam nervosas, excitadas e inseguras. Portanto, comece devagar e deixe-as saber que você pode se relacionar.
  1. Faça-a sentir-se desejável, porque o marido não faz. Comece com um elogio sobre uma de suas fotos ou seu perfil.
  2. Após a apresentação, pergunte a ela o que ela está procurando “idealmente” ou qual é o seu “cenário perfeito”?
  3. Após a apresentação, pergunte a ela o que ela está procurando “idealmente” ou qual é o seu “cenário perfeito”?
  4. Planeje algo emocionante com ela para que ela se comprometa com a reunião. Não precisa ser grande, mas talvez uma nova cafeteria popular ou uma livraria. O fato de você se reunir em segredo é suficiente para tornar a reunião tentadora.
Sites de namoro de casados ​​como Ashley Madison oferecem aos usuários um lugar seguro e discreto para interagir com pessoas com a mesma ideia em um ambiente livre de julgamento. Sites como Ashley Madison tiraram a maior parte do risco e suposições do flerte de casados e provaram ser uma alternativa mais segura aos antigos casos no trabalho.
submitted by fobygrassman to mulheres_casadas [link] [comments]


2020.06.24 10:28 amaysouza Namorando uma criança???

Ooi, Lubixco, Editores maravilindos, gatinhas charmosas, finados papelões, possível convidado e querida turma que está a ver. Essa história é sobre a vez em que eu terminei um relacionamento.
Certo, vou dar uma contextualizada aqui. Eu namorei um garoto por 8 meses (meu primeiro namorado), mas ele terminou comigo e eu fiquei desolada. Eu tinha um melhor amigo (vamos chamar de Kid). Bem, Kid e eu nos conhecíamos a menos de um ano, mas já éramos melhores amigos, quando meu ex terminou comigo ele me apoiou e me distraiu (detalhe: quando começamos a nossa amizade, a namorada dele também tinha terminado com ele e eu o apoiei). Beleza, acabou que eu comecei a sentir alguma coisa por ele e 2 MESES depois de eu ter saído de um relacionamento, entrei em outro, mas apesar da gente se dar bem, ele era extremamente dramático e agia feito uma criança, o que me dava nos nervos, mas ainda assim eu aturava. Com 1 mês de namoro, já estava me questionando se eu gostava mesmo dele, Mas continuei pra ter certeza, no 2° mês, estava certa de que aquele relacionamento não deveria estar acontecendo, então planejei terminar.
Agora vem a parte em que vocês julgam se eu fui babaca ou não, ok?
(Obs: meu ex tinha terminado comigo no nosso aniversário de namoro e eu fiquei na cabeça que faria isso tambem) No dia 1° de dezembro eu combinei de sair com um amigo e depois iria encontrar o Kid. Era por volta das 17h quando mandei mensagem pra ele dizendo que estava livre (detalhe: eu estava numa exposição, então não podia ficar respondendo ele toda hora). Nós já tínhamos combinado que assim que eu estivesse livre iríamos nos ver, mas quando mandei mensagem pra ele, ele começou a fazer drama (no dia seguinte ia trabalhar e não poderia dormir na casa dele). Ele ficou dizendo que queria ficar comigo, mas que nem ia dar, então era melhor a gente nem se ver, mas eu estava decidida a terminar, não aguentava mais, então disse que precisava conversar com ele e que era sério, então ele decidiu por nos encontrarmos na estação de metrô mesmo. Chegando lá eu disse que percebi que não gostava dele desse jeito romântico, mas que gostava da nossa amizade e que independente disso nós poderíamos continuar sendo amigos. Ele ficou me questionando se eu tinha certeza disso, e eu tinha, então, no 1° metrô que passou ele foi embora.
Vocês acham que eu fui uma babaca insensível por ter continuado com a decisão de terminar naquele dia, mesmo o ambiente não sendo tão propício para isso???
(Obs: tem parte dois, assim que for julgada por isso, posto para vocês julgarem novamente)
submitted by amaysouza to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.20 15:56 BaneBosic Jogos online e relacionamentos: a velha treta

As vezes eu me sinto renegada pelo meu namorado porque ele gosta de jogar durante t-o-d-o o tempo livre dele. E não me entendam mal, eu não sou nenhuma insuportável maníaca por atenção, que não quer que ele pare de jogar 100%. Acontece que é num nível de que chega final de semana e ele passa o dia todo jogando lol desde que acorda, para só na hora das refeições e continua até de madrugada (atualmente moramos juntos). Eu já conversei com ele e nada.... Pior é que vejo que mais pessoas passam pelo mesmo problema nos namoros, então sei que não sou a única que se sente deixada de lado por isso. Esse nem é o meu primeiro namoro em que passo pela mesma coisa, na verdade. Mas ainda não sei o que fazer.
submitted by BaneBosic to desabafos [link] [comments]


2020.06.14 10:51 karlswith_k "Como perdi TRÊIX pessoas importantes na minha vida em menos de TRÊIX meses".

 ♡Oiii Luba, editores, falecidos papelões, gatas e pessoas que estão a ver, hoje irei contar a vocês a minha incrível história de... 
"Como perdi TRÊIX pessoas importantes na minha vida em menos de TRÊIX meses ... ;-; " (luba se possível tem como tentar fazer sotaque nordestino? Pq sou nordestina e acho fofo quando você tenta imitar nosso sotaque ♡).
Eu comecei um namoro(inclusive meu PRIMEIRO namoro) no ano de 2017, que durou até o finalzinho de 2019. O meu namorado(vamos chama-lo de "baka") era muito possessivo, tinha ciúmes de todo ser vivo que chegava perto de mim, queria até controlar minhas conversas pelo Whats, como se já não bastasse queria governar o jeito de como eu me vestia(tamanho de saia, vestidos, tipos de brincos e etc.), eu estava ficando extremamente sufocada com esse relacionamento. Na metade do ano passado eu havia conhecido um garoto chamado "Farls", que era super legal, logo viramos super amigos e como qualquer namorada, contei para o "Baka" sobre o "Farls", o quanto ele era legal, um ótimo amigo e mesmo com ciúmes nítidos, ele virou amigo do "Farls", isso me deixou super feliz.
Na minha cabeça, eu acredito que devido a sufocante relação que eu tinha, acabei me apaixonando pela atenção e compreendimento do "Farls", por esse motivo achei melhor eu dar um tempo no meu namoro com o "Baka" e de algum modo ver se o que eu sentia pelo "Farls" era verdadeiro ou não, já que ele também havia se apaixonado por mim(deixei claro para o meu namorado que queria ver se o que eu sentia era real ou não).
Em um belo dia, após às aulas, fui com o "Farls" e alguns colegas da minha turma comprar ingredientes para as comidas da festa da guria que iria aniversariar alguns dias depois, compramos o que precisávamos e cada um seguiu seu rumo, mas eu e "Farls" decidimos ir juntos até um determinado lugar onde ficava perto do ponto de ônibus que ele precisava ir e perto do caminho para eu voltar para casa, mas no percusso, meu namorado viu nós dois "JUNTOS" e decidiu fazer uma novela, na frente de todo mundo(observação: eu ODEIO passar mico, ooou ser humilhada em PÚBLICO), nisso o bonitinho(o "Baka") chegou por trás de nós dois e nos empurrou em direções opostas querendo nos afastar(obs.: estavamos longe um do outro, não estavamos nos esfregando em NENHUM MOMENTO), ele olhou para mim e gritou:
Mesmo com muita vergonha do que havia acontecido em PÚBLICO, eu e o "Farls" seguimos nossos rumos para irmos para nossas casas, após alguns minutos que eu havia chegado em casa, minha mãe me avisa a chegada do meu namorado, fui até ele e quando ele me viu começou a falar um monte de coisas idiotas pra meu lado, incluindo palavrões, apontando dedo na minha cara falando coisas que eu não fiz, dizendo que sabia de traições que EU havia "COMETIDO", porque ele tinha vários amigos deles na minha escola que ficavam de olho em mim e falaram isso pra ele. Depois de me irritar no meu limite, ele fala que terminamos e o bonito faz o drama de bater o portão da minha própria casa na minha cara, saindo correndo com cara de choro dali. Eu simplesmente caguei pra ele, pois, depois de todo aquele acontecimento as chances de eu ficar com ele foram de 10% para -1000%.
Alguns dias depois, terminamos oficialmente, contando pra os meus pais. Então, eu FINALMENTE estava livre. (Observação.: além do "Farls" que gostava de mim e eu dele, meu melhor amigo que eu conheci um ano antes que o "Farls", [chamaremos ele de "Garls"], também gostava de mim, inclusive já havia me contado sobre os sentimentos dele pra mim antes, mas eu simplesmente estava louca de amores pelo "Farls", começando um namoro com ele e magoando meu amigo "Garls").
Meu namoro com o "Farls" não durou muito tempo, porque percebi que meu sentimentos por ele não eram mais a mesma coisa, então resumindo...
Terminei um namoro extremamente tóxico, iniciei outro relacionamento que eu achava estar extremamente apaixonada, sem estar e acabei magoando meu melhor amigo, que inclusive, estou gostando dele agora, mas ele deixou claro que estou na "FRIENDZONE"...
Eu fui babaca em ter seguido meus sentimentos pelo "Farls", ter iniciado outro namoro apenas um mês depois do término do meu outro namoro passado e por ter ignorado os sentimentos do meu amigo?? Sim ou com certeza? ;-;
Espero que tenham gostado da pior história do mundo haha, bjs Lubisco, te amo. View Poll
submitted by karlswith_k to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.11 10:38 Killyous-Death As 2 histórias mais estranhas da minha vida #TurmaFeira

Olá Turma, Luba, editores, gatas e o namorado imaginário do Luba. Sou novo na comunidade e sou muito ruim em redação. Sou da Bahia e queria contar 2 histórias q são completamente diferentes uma da outra mas se passa no mesmo lugar.
1- A professora de história
Quando eu tinha 11 anos de idade, fui para um colégio municipal do bairro. Era no ano de 2012 e naquela época eu n estava nada bem. Assim como no colégio passado sofri bullying nesse tbm. Mas com raiva de so sofrer, passei a praticar e depois disso pararam de praticar bullying em mim, mas enfim. No meu primeiro ano nesse colégio a minha depressão estava cada vez pior. Eu n queria fazer mas nada a n ser morrer ou deixar de fazer qualquer coisa. Mas naquele mesmo ano do colégio mesmo sem ir tanto para a escola eu consegui passar, mas fiquei em recuperação de 7 matérias e só tinha passado em uma matéria q foi a de inglês. Mas enfim, eu consegui passar e isso foi a única coisa boa q aconteceu naquele ano. No ano seguinte, eu estava no mesmo colégio e estava no oitavo ano. Um belo dia a professora (pelo qual vou chama-la pelo apelido que deram a ela q nem sabem o significado) Catita estava fazendo a chamada. E quando chegou no meu nome ela perguntou: quem é Carls? Eu sem entender estendi a mão. E então ela falou: então vc é o Carls o mesmo q passou nas 7 matérias da recuperação do ano passado? Eu: sim... Ela: eu vou ser bem direta. Ela se inclinou na minha frente e olhando no fundo dos meus olhos, falou: eu vou fazer de tudo para vc perder de ano, pq teve gente q merecia passar, mas n passaram. Resultado: perdi 2 anos na matéria dela que é história. No decorrer do tempo teve muitas tretas com minha mãe indo lá para resolver e n deu em nada. Minha depressão piorou e ela foi assaltada e detonaram o carro dela. Esqueci de dizer que a maior parte do colégio odeia ela até hj e o significado do apelido q só eu sei é q "catita" é um nome de um ratinho silvestre q está ou já foi extinto e ninguém sabia disso e provavelmente n sabem. Maldita Catita matriarca.
2- A namorada com fogo no.... c sabe
Quando eu tinha 15 anos eu acabei me envolvendo com uma garota até q bonita mas, tachada como doida no colégio, e eu descobri da pior forma. Um dia no colégio estava eu e mais uns 7 colegas jogando 5 corte. E ao decorrer da brincadeira, eu acabei ganhando uhu. Quando terminamos de brincar, eu reparei q uma garota estava sentada isolada no pátio q fica ao ar livre. E ao mesmo tempo tinha uns garotos dando umas boladas no local onde ela estava. N achando aquilo correto, fui até lá e tomei a frente e pedi para o pessoal parar de fazer aquilo com ela. O pessoal parou, e me dirigi até ela perguntado se ela estava bem. Ela disse q n, q estava com dor de cabeça. Então eu falei q ia na diretoria ver se tinha algum remédio. Ela disse q n precisava pois já estava para ir para casa. No dia seguinte perto do horário final, a Zarls (a garota) me chamou para conversar. E ela foi bem direta perguntando se ela podia me namorar. Naquele momento meu mundo parou, pois ela seria minha primeira namorada. Eu pensei e aceitei. N demorou muito para terminarmos. O nosso namoro só durou 15 dias pq ela queria transar comigo. Eu entrei em choque quando ela pediu. Vale ressaltar q eu tinha 15 e ela 13 e ela queria fazer sem preservativos. Eu falei a ela q n e então ela disse q n íamos mais nos beijar até o dia q a gente transar. Eu sou cristão e sabendo q relações sexuais é melhor depois do casamento e com medo do q isso poderia dar, resolvi terminar o relacionamento. Ela ficou triste e disse q eu n ia encontrar mais nenhuma garota q gostasse de mim e q eu iria me arrepender. Depôis disso rolou algumas boatos no colégio q ela tinha me derrubado da escada e me espancado. Claramente uma grande mentira. Ela tbm fugiu de casa e ficou 1 semana desaparecida. Eu poderia terminar aq mas tem mais. Eu sai do colégio municipal e fui para um estadual e n tinha mais notícias sobre ela ou tinha visto ela. Mas um dia q eu estava saindo da casa do meu irmão e voltando para casa, vejo ela. Ela abaixou a cabeça quando me viu e eu notei q os seios dela estavam estranhamente grandes e só se passaram 2 anos depois do nosso término (eu tinha 17 e ela 15). Eu achei q era a puberdade q fez com q ela amadurecesse, mas n, ela estava grávida. Soube depois de ver com os meus próprios olhos. Quando eu estava voltando da igreja em um domingo ensolarado, eu a vi com uma barriga enorme e reparei q ela estava claramente grávida. Ela me viu e diferente de antes, ela olhou para mim e sorriu com orgulho. Ela estava orgulhosa por ter transado. Eu estava pasmo e com nojo, mas n consegui demonstrar por conta do choque. Em um período de 1 mês veio duas notícias horríveis.
1- descobriram com quem ela tinha tranzado, e era o tio dela.
2- ela matou o bebê o jogando em um reservatório de água e deixando lá até o dia q o descobrissem.
Eu nem tive palavras para o q eu tinha acabado de saber, só sei q sentir ódio. Eu falei para mim mesmo q ainda bem q n tinha sido eu q transou com ela pq ao contrário de ela estar no reformatório, era eu que estaria atrás das grades ou num hospício. Pq eu iria trucidar ela e n deixaria o cadáver dela capaz de ser reconhecível. Ela teve o bebê e fez isso.......
Enfim essa foi as minhas histórias. Eu queria q fosse fake, eu realmente queria q tudo isso fosse uma grande invenção da minha cabeça, mas infelizmente n é.
Ps: Hoje tenho 19 anos e eu consegui superar a depressão, mas fui diagnosticado com transtorno de ansiedade. E agora tenho q fazer consultas com o psicólogo toda semana por conta de diversos problemas q aconteceram além desses e por isso as vezes tenho ataques de pânico. Antes era mais frequente os ataques, mas agora estou melhorando e sem uso de remédios.
Espero q veja Luba. Gosto muito do seu canal e espero q cresça muito mais.
Vc é uma pessoa adorável.
submitted by Killyous-Death to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.07 02:09 _rayo_de_sol_ Fui babaca por terminar com meu ex por whatsapp?

Olá Luba, editores, gatas e turma que está a ver (saudade dos comentários rápidos que o Matheus fazia aqui affs) Ps1: sou nordestina, pode tentar fazer o sotaque kkkk não é vergonhoso, só cômico. Ps2: É só falar o T com mais força, tipo no lugar de "Txia" fala "Tia".
Contextualizando: Eu sofro de ansiedade social, qualquer situação de envolva interagir, principalmente na frente de pessoas é muito difícil pra mim, nem pegar o elevador com pessoas dentro eu consigo.
Enfim, eu estava no 2 ano do E.M. e a pressão do ENEM tava lá né kkkk (rindo de nervosismo) mas enfim, eu tinha me aproximado de uma menina que era extremamente extrovertida, do tipo que falava com todo mundo da escola, ela me carregava pelos cantos no intervalo, eu amava ficar com ela, pq parecia que minha ansiedade diminuía. Um dia ela me apresentou um amigo dela, ele era amigo do namorado dela, vamos chamar ele de Carls. Ele era divertido, eu n falava muito com ele pessoalmente (por vergonha e por falta de tempo tbm), mas pelo whatsapp era maravilhoso, depois de um mês que nós tínhamos nos conhecido ele chegou e me pediu em namoro, eu ia negar, tanto que eu sabia que ele ia me pedir pq era dia dos namorados, e aquela minha amiga do começo da história tava muito suspeita, ela tentava me levar pra capela da escola, mas eu dizia que tava com dor de barriga só pra ficar no banheiro, enfim, no final ela me arrastou, não para a capela que era um lugar calmo que poucas pessoas iam pra lá nos intervalos, mas pra portaria principal, que estava lotada de pais esperando os filhos para irem pra casa. O Carls brotou no meio dos pais com um buquê gigante, e minha amiga já tinha corrido, quando ele me pediu eu só n consegui dizer nada, por conta da ansiedade eu n falei nada nem me mexi, tudo ficou preto e quando eu voltei a mim, ele já tinha me tirado da portaria, e me beijou, eu não soube o que fazer, então eu só fui pra casa, ele considerou que era meu namorado e ficou nessa.
Todos os dias ele ia pra minha sala e ficava tirando o meu espaço privado, eu me sentia extremamente desconfortável, ele não me deixava ir ficar com minha amiga no intervalo, tanto que a gnt se afastou, ele não deixava ninguém chegar perto de mim, não me deixava escutar as minhas músicas, tanto que quando eu comprei alguns álbuns meus pais disseram pra eu guardar que se não o Carls ficaria com ciúme, tinha vergonha das minhas roupas, que me ajudam a perder um pouco da ansiedade, pq são muito coloridas, e o ponto principal, eu não gostava dele, todo mundo percebia isso, menos ele, chegou a um ponto que eu não queria mais isso, 5 meses de "namoro" com abusos tanto psicológicos como físicos (sim, ele ficava me tocando em cantos que eu não queria) eu terminei com ele, pessoalmente, blz, se passou uma semana e todos os dias ele ia na minha sala me perturbar, mandava áudios chorando pedindo pra voltar e perguntando porque eu tinha terminado com ele, e eu disse tudo o que me incomodava, o Carls insistiu tanto que eu aceitei voltar.
Aceitei mas me arrependi, na primeira semana ele tinha se transformado no oposto do que ele era, talvez eu tenha começado a gostar um pouquinho dele aí, mas não demorou pra ele voltar a ser como era, depois de um mês eu mandei uma mensagem pra ele perguntando quando ele estava livre que queria me encontrar com ele, a resposta dele foi "Você quer terminar comigo de novo né?" e eu só disse que sim, depois disso ele me bloqueou em todas as redes sociais, e na escola passava por mim como se n me conhecesse.
View Poll
submitted by _rayo_de_sol_ to TurmaFeira [link] [comments]


Desejo sexual no Namoro - Diego Fernandes - Livro: Quero um amor de verdade (Cap. 15) Bianca Andrade fala do namoro 'livre' com Fred e revela ... NAMORO ACABA NA LIVE #TRETA  ACABOU TUDO - YouTube Eu namoro!  meme • Gacha life • - YouTube Arte do Namoro pdf - Curso Completo Resenha do livro: Namoro Blindado POLIAMOR? AMOR LIVRE? Conheça as NOVAS FORMAS DE AMAR ft ... Poliamor, amor livre, relações abertas, ciúmes - feat Luck ... Baia - Namoro (CD A Fúria Do Mar)

Sites de namoro: 21 melhor, popular, Premium e livre sites ...

  1. Desejo sexual no Namoro - Diego Fernandes - Livro: Quero um amor de verdade (Cap. 15)
  2. Bianca Andrade fala do namoro 'livre' com Fred e revela ...
  3. NAMORO ACABA NA LIVE #TRETA ACABOU TUDO - YouTube
  4. Eu namoro! meme • Gacha life • - YouTube
  5. Arte do Namoro pdf - Curso Completo
  6. Resenha do livro: Namoro Blindado
  7. POLIAMOR? AMOR LIVRE? Conheça as NOVAS FORMAS DE AMAR ft ...
  8. Poliamor, amor livre, relações abertas, ciúmes - feat Luck ...
  9. Baia - Namoro (CD A Fúria Do Mar)

ℓσα∂ιиg…(•̩̩̩̩_•̩̩̩̩) ]50% ]100% ...σℓá ѕσυ α ∂єѕ¢яιçãσ! мє ℓєια!! :・° ¸.♡.¸ ° ・: ღ~ ιиѕριяαçãσ ... Olá abençoados! A resenha desde livro é uma ótima dica para você que não quer errar no namoro. Leia também o post lá no Blog. Beijos, fiquem com Deus! Blog Duquesa Estilosa: http ... Descubra como funciona o poliamor, amor livre e relacionamento aberto com Luck Spike e Kreepy. Além disso aprenda um pouco mais sobre o ciúmes e como lidar. ... NAMORO ACABA NA LIVE #TRETA ACABOU TUDO Briga de namorados ao vivo. Namorados começam a live e a namorada fica com ciumes e termina o namoro. SIGA: Instagr... Já ouviu falar em relacionamento aberto, poliamor e amor livre? A psicanalista e escritora Regina Navarro Lins, explica o surgimento do amor romântico e como... Para obter o curso Arte do Namoro pdf, acesse o site: https://go.hotmart.com/K6416235A **Atração não é uma escolha, é uma resposta biológica.** Isso quer diz... Canal dedicado a Bianca Andrade, ou se você preferir, a Boca Rosa! Veja os vídeos direto do stories do Instagram. Além disso, entrevistas, lives, notícias e ... Desejo sexual no Namoro este é o tema deste vídeo! Tem gente que quer ser um anjinho! 😇 E a pessoa acaba esquecendo que é um ser sexuado; quer ser anjo e esquece de ser humano. Baia - Namoro - CD A Fúria do Mar (Produzido por Shilon Zygiel) - Lançado em dezembro de 2015, distribuído pela Som Livre.